sexta-feira, 31 de julho de 2009

Atenção alunos: Inscrição para isenção do Vestibular da UESB

Estarão abertas, no período de 12 a 19 de agosto de 2009, às inscrições para Isenção total e parcial do Pagamento da Taxa de Inscrição referente ao CONCURSO VESTIBULAR UESB 2010.
A isenção da taxa de inscrição para o Concurso Vestibular 2010 compreenderá as seguintes categorias abaixo:
  • Alunos optantes pelo sistema de reserva de vagas ou quotas adicionais, nos termos e condições estabelecidos pela Resolução CONSEPE 37/2008
  • Alunos oriundos de cursos pré-vestibulares comunitários e populares, que comprovem ter cursado ou estar cursando o Ensino Médio, por meio de exames supletivos ou cursos equivalentes, nos termos e condições estabelecidos pela Resolução CONSEPE 37/2008;
  • Alunos oriundos da Rede Pública de Ensino do Brasil não optantes pelo sistema de reserva de vagas ou quotas adicionais, nos termos e condições estabelecidos pela Resolução CONSEPE 37/2008;
  • Servidores da UESB (extensiva a todos os servidores independente do nível de instrução (Ensino Médio ou Graduado), e seus dependentes (cônjuge e/ou filho de servidor efetivo e de servidor temporário: REDA, à disposição e livre nomeado), nos termos e condições estabelecidos pela Resolução CONSEPE 71/2006;
  • Servidores de outras Universidades Estaduais da Bahia e seus dependentes, nos termos e condições estabelecidos pela Resolução CONSEPE 71/2006;
  • Alunos do Programa Universidade Para Todos, vinculados a UESB, nos termos e condições estabelecidos pela Resolução CONSEPE 71/2006.
As inscrições para isenção total deverão ser realizadas exclusivamente pela internet:

Fonte: UESB

Charge




Bahia terá centro tecnológico da cachaça ainda em 2009

Da Agência Sebrae
________________________________________________

Jeremias Macário

Vitória da Conquista foi escolhida como sede pelo seu potencial econômico, além de ser um pólo de desenvolvimento onde está concentrada grande parte da cachaça produzida na Bahia.

Vitória da Conquista - Desde a década de 90 os produtores de cachaça da Bahia vêm lutando contra todos os obstáculos para melhorar a qualidade do produto e ampliar os mercados, inclusive no exterior. Depois de muitos debates e reuniões com entidades, técnicos e órgãos do governo, a proposta de criação do primeiro Centro de Tecnologia e Negócios de Derivados de Cachaça da Bahia deverá ser concretizada até o final do ano, com sede em Vitória da Conquista.

A indicação da unidade tecnológica para oferecer suporte e assessoramento aos produtores, especialmente do sudoeste do Estado, ficou definida em reunião no dia 28 de julho, nas instalações do Instituto Federal de Educação Tecnológica de Conquista (antigo Cefet), entre produtores, representantes do Sebrae, do Instituto Euvaldo Lodi, , do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado.

Dentro do projeto ‘Produzir’, da Secretaria de Ciência e Tecnologia, os parceiros discutiram detalhes e procedimentos do programa para implantação do novo centro, que irá passar informações e conhecimentos necessários para que os produtores possam melhorar a qualidade da cachaça através da aprendizagem de novas técnicas de industrialização. A área comercial, visando a conquista de novos mercados, também será reforçada a partir da unidade que irá funcionar nas dependências do Infet/Conquista.

Trata-se de uma unidade de difusão de conhecimento de derivados de cachaça para todo Estado – explicou o representante da Secretaria de Ciência e Tecnologia, Djalma Barbosa. A localização do centro recaiu em Conquista pelo seu potencial econômico como rede de distribuição, contando ainda com a vantagem de ser um pólo de desenvolvimento da região sudoeste da Bahia, onde está concentrada grande parte da produção de cachaça do Estado, conforme análise dos técnicos e produtores.

O centro vai envolver todos os derivados da cana-de-açúcar, como a cachaça, rapadura e outros produtos, e contará com uma gestão executiva para coordenar os trabalhos de acompanhamento dos produtores no processo de industrialização e incremento de seus negócios. A idéia do centro é justamente criar condições para o crescimento do setor, que vem encontrando uma série de dificuldades, como a obtenção do selo de qualidade e a concorrência desleal por parte dos clandestinos.

De acordo com Júlio Chompanis, coordenador do Programa de Desenvolvimento das Atividades Empresariais do BID, o centro irá beneficiar inicialmente um universo de 300 produtores formais e informais do sudoeste baiano, abrangendo as regiões de Abaira (Jussiape, Piatã e Mucugê), Caetité e Caculé, Rio de Contas e Livramento de Nossa Senhora, Piripá, no Vale do Rio Gavião, e Itarantim.

Os últimos detalhes para a instalação do centro serão debatidos numa próxima reunião, mas ficou decido que a unidade começará a funcionar ainda neste ano. A aquisição de equipamentos para o projeto será feita pelos parceiros. O centro, que terá um executivo representante, será mantido pelas associações e cooperativas.

Impostos e concorrência

As maiores dificuldades, mesmo com todas as estratégias mercadológicas montadas pelos produtores e parceiros envolvidos com a fabricação de cachaça, têm sido a alta tributação do IPI (mais de 80%) e a pesada concorrência da indústria de outros destilados, como vinhos, uísques e fermentados. A própria Cachaça Industrial ou de Coluna paga menos impostos e apresenta preços mais baixos.

A saída para esses entraves recomendada por Paulo Mesquita, do Sebrae/Bahia, é a participação cada vez mais intensa em feiras e eventos, bem como a realização de ações promocionais e campanhas e divulgação na área de marketing que gerem novos negócios.

De acordo com levantamentos do setor, o volume de produção na Bahia é superior a cinco milhões de litros por ano (no Brasil, cerca de 1,3 bilhão de litros). Mas somente 350 a 500 mil litros no Estado da Bahia são de alambiques legalizados. A cachaça de qualidade enfrenta a competitividade do produto clandestino e o preconceito do público consumidor que prefere a vodka e o uísque.

Além do mercado interno, que absorve a maior parte da produção, outra saída é a conquista do comércio exterior. Nessa área a cachaça de Abaira já deu o primeiro passo com a venda, em março do ano passado, de um lote de 21 mil garrafas para a Itália. Há a expectativa de que mais 80 mil litros sejam embarcados para a Itália em 2009, como informou Nelson Luz Pereira, membro da Cooperativa dos Produtores Associados de Cana e seus Derivados na Microrregião de Abaira (Coopama) e chefe do escritório local da EBDA. Outra cachaça exportada pela Bahia é a Serra das Almas, de Rio de Contas.

Há quatro anos no mercado, a cachaça Engenho Bahia, do município de Ibirataia (extremo sul baiano), foi a primeira do Estado a receber a certificação do Inmetro. No Brasil apenas 28 marcas dispõem desse selo, nos estados do Rio Grande do Sul, Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo e Bahia.

Tanto Josafar Rebouças, diretor de Vendas da Engenho Bahia, como o produtor Nelson Luz, de Abaira, afirmam que, apesar dos problemas, a venda da cachaça tem crescido nos mercados interno e externo, bem como tem melhorado sua participação em feiras e eventos, como na Feira Coopmac-Sebrae no início do ano, em Conquista.

Além da questão da tributação, Nelson se queixa da burocratização para a Cooperativa de Abaira conseguir o selo - “mesmo com o cumprimento de todas as normas trabalhistas e da legislação”. De acordo com Nelson Luz, a região de Abaira produz hoje cerca de 150 mil litros por ano de cachaça engarrafada, que é vendida pela Cooperativa a R$10,00 a unidade. A entidade vai produzir também açúcar mascavo e cristal, entre outros derivados.

Em Rio de Contas funcionam dois alambiques, a Tombad’ Ouro e Serra das Almas. Só a Tombad’Ouro produz 10 mil litros por ano, destinados ao mercado interno. Mas o produtor da unidade, Luis Carlos Farias, garante que o sonho é conquistar o mercado externo.Outras marcas baianas que estão lutando pelo mercado são a Matinha (Piripá) e a Taquaril (Licínio de Almeida), da Cooperativa de Produtores de Derivados de Cana do Vale do Rio Gavião (Coodecana).

Segundo o presidente da entidade, Jurandir Costa Viana, as duas fábricas produzem por ano cerca de 180 mil litros. O Brasil possui cerca de 40 mil produtores de cachaça, sendo que mil fazem a chamada aguardente, ou a cachaça industrial. Os demais são produtores de cachaça de alambique, segundo a Federação Nacional de Produtores de Cachaça de Alambique.

A informalidade no País é estimada em mais de 90%. Na Bahia, o segundo Estado produtor depois de Minas Gerais, esse índice não é diferente. Existem no Estado cerca de sete mil pontos de produção, sendo 40 formais e apenas 15 de excelência. O imposto da cachaça no Brasil é definido pelo valor do produto no mercado. Uma boa cachaça chega ao ponto de venda pagando até 83% em tributos. O produtor que faz uma bebida com maior valor agregado acaba pagando três vezes mais de imposto que a indústria.

Serviço:Sebrae Bahia – (71) 3320-4300

terça-feira, 28 de julho de 2009

Embrapa aposta no potencial da Chapada Diamantina para a citricultura

Do Grupo Cultivar ________________________________________________

O desenvolvimento da citricultura na Chapada Diamantina é o principal objetivo de uma parceria entre a Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, a prefeitura municipal de Rio de Contas e o produtor rural Elias Pereira Cruz, com apoio do Banco do Nordeste.

O projeto está sendo conduzido há cinco anos pelos pesquisadores Orlando Sampaio Passos, Walter dos Santos Soares Filho e Clóvis Oliveira de Almeida.

“A Chapada Diamantina é uma das regiões mais propícias para o cultivo de citros para mesa no Brasil”, afirma Orlando Passos. Na Bahia, atualmente, as principais regiões produtoras são o Litoral Norte e o Recôncavo.

Visando conhecer o comportamento de variedades cítricas nas condições da região, a Embrapa está avaliando um grupo de laranjas doces, tangerinas e outras espécies em duas propriedades: na Bagisa S.A., em Ibicoara, e no Sítio Recanto dos Pássaros, em Rio de Contas. “As condições climáticas e edáficas são favoráveis, mas é necessário que se façam estudos no sentido de escolher as espécies e variedades adaptáveis a essas condições”, declara o melhorista Walter Soares.

Situada na parte central do estado, a região já foi chamada de “Alpes baianos” pelas baixas temperaturas das noites de inverno, que podem chegar a 6ºC, principalmente nos meses de junho e julho. Os solos Latossolos Vermelho-amarelos e Amarelos são predominantes, sendo os de maior potencial para agricultura os Vermelho-escuros e Cambissolos.

Condições favoráveis

Segundo a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (Car), empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional (Sedir) do governo do Estado, há nessa microrregião uma área potencial de 18.690 hectares irrigáveis para uso principalmente pela horticultura, com abundância de recursos hídricos.

“Um fato importante é a predominância de pequenas propriedades nesses municípios, o que constitui, ao lado das condições climáticas, justificativa para se desenvolver uma citricultura visando ao mercado interno e, posteriormente, externo de frutas cítricas, em especial do grupo das tangerinas”, afirma Clóvis Almeida, pesquisador da área de socioeconomia da Embrapa.

Um exemplo é a tangerina ‘Ponkan’, cuja qualidade (coloração e peso do fruto) é bastante superior à das produzidas em outras regiões do país. Os frutos produzidos em Rio de Contas apresentam coloração alaranjada, intensa e uniforme.

O produtor Paulo Paschoal dos Santos, 81 anos, foi o pioneiro do cultivo da tangerineira ‘Ponkan’ em Rio de Contas. Também cultiva as laranjeiras Bahia, Baianinha, Lima e Pera, todas no espaçamento de 5 m x 5 m. As mudas foram adquiridas em Minas Gerais, prática comumente adotada na região. “Se não houvesse ainda tanta incredulidade, a região poderia ser transformada em uma potência, a ponto de atrair compradores de São Paulo, tal é qualidade da fruta, devido ao clima privilegiado e da inexistência de pragas, tão comuns nas principais regiões produtoras do país”, sentencia.

Exportação

A exportação de frutas cítricas in natura no Brasil vem se mantendo estagnada, em torno 83.000 t/ano, ao longo dos últimos 30 anos, o que faz o país ocupar a 16a posição no ranking mundial de exportadores, com menos de 1% do total exportado mundialmente. Os países da Comunidade Europeia são os maiores importadores, chegando a atingir 70% do total importado nesse mesmo ano.

Enquanto se verifica um declínio no mercado de frutas frescas, o grupo das tangerinas ou mandarinas, como são denominadas na língua espanhola, apresenta elevada taxas de crescimento. “São requisitos básicos para a fruta de exportação: ausência de sementes e facilidades de descascar, intensa e uniforme coloração externa e relação acidez/sólidos solúveis equilibrada”, explica Orlando Passos.

Segundo Clóvis Almeida, o consumo per capita de frutas in natura no Brasil encontra-se bem abaixo dos padrões dos chamados países desenvolvidos, que são também os principais importadores de frutas produzidas no país. “De acordo como o Instituto Brasileiro de Frutas, em 2005 o consumo de frutas por habitante era de 57 kg, menor que o observado em outros países emergentes”, salienta.

Na Pesquisa de Orçamento Familiar do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para o período de 2002/2003, o consumo de frutas por habitante no Brasil foi da ordem de 24,50 kg, enquanto o consumo de frutas cítricas apresentou valores ainda menos expressivos, a exemplo das tangerinas (1,170 kg), dos limões (0,548 kg) e das laranjas Pêra (2,194), Bahia (0,074 kg) e Lima (0,305 kg).

Léa Cunha
Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical
(75) 3312-8076 / www.cnpmf.embrapa.br

Fonte: Grupo Cultivar

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Governo articula ações para prevenir incêndios na Chapada Diamantina

Do Governo da Bahia
_______________________________________________


A Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes) – através da Coordenação de Defesa Civil do Estado (Cordec) – Casa Militar, Secretaria de Meio Ambiente (Sema), bombeiros e brigadistas voluntários, reuniram-se nesta sexta-feira (24), para apresentar uma forma de ação conjunta no combate aos incêndios florestais na Chapada Diamantina.

A Defesa Civil já está articulando com outros órgãos do Estado como a Secretaria de Saúde, Secretaria de Educação, EBDA, Derba, que estão envolvidos nesse processo para potencializar a ação de combate a incêndio florestal na região. “Esta é uma ação importante. O governo todo está empenhado para proteger a Chapada Diamantina e os demais biomas do Estado”, disse o Coordenador Estadual de Defesa Civil, Antônio Rodrigues.

Serão distribuídos equipamentos de proteção individual para os brigadistas, alimentos e suprimentos para as famílias. Além disso, o governo contratará empresas para fazer locações de aeronaves. “Estamos tentando mudar o cenário com o apoio do Estado às brigadas, para que não haja mais incêndios como no ano passado”, disse Erlei Aguiar, brigadista de Ibicoara, Chapada Diamantina.

Segundo Antônio Rodrigues, o mais importante de uma ação como esta “não são somente recursos disponibilizados, e as estruturas que são montadas”, mas a conscientização. “A população tem que ter consciência de que cada foco de incêndio resulta em anos de recuperação da fauna e da flora. Precisamos trabalhar na prevenção”, concluiu.

Fonte: Agecom

sábado, 25 de julho de 2009

Povo, esses cidadãos engabelados!

Do Mandacaru da Serra
________________________________________________

Jornalista Raimundo Marinho

Cada vez mais os atos dos políticos ladrões e incompetentes me convencem de que a miséria humana se espelha mais nos jalecos e casacos do que nos trapos e farrapos. Nunca antes nesta República a promiscuidade entre o público e o privado, sob a direção daqueles cidadãos, foi tão acintosa. Até ligações familiares, âmbito privado mais genuíno, passaram a balizar decisões que deveriam ter por parâmetro o interesse público. Vide a lama que escorre, atualmente, das cavernas secretas do Congresso Nacional.

Mas aqui, no tupiniquim, não tem sido diferente, haja vista o absurdo interesse paroquial na insistência em justificar, por exemplo, o ato insano de contaminar e ameaçar de extinção a bela Cachoeira de Livramento de Nossa Senhora, prestes a servir de depositário dos dejetos sanitários da vizinha cidade de Rio de Contas, sob o patrocínio da empresa estatal de água e saneamento. Nenhum “pinicão” do Estado da Bahia, sob a responsabilidade da Embasa, deu certo. Basta visitar o de Livramento e o de Vitória da Conquista, para fazer a constatação.

E o que está sendo implantado em Rio de Contas é exatamente um moderno “pinicão”, obra em flagrante contramão dos movimentos mundiais e ações em defesa do meio-ambiente e proteção da saúde humana, com programas de descontaminação de rios, como é o caso do Rio Joanes, que abastece parte da capital baiana. Indignados com essa falta de pudor administrativo e descaso para com o interesse público, ecos de reprovação surgem entre a população de Livramento, principalmente os jovens.

É muito justo, pois serão eles e seus filhos que mais sofrerão as conseqüências no futuro. Os meios de luta, lamentavelmente, são insipientes, notadamente quando se tem do lado contrário a mais alta autoridade do município e seus áulicos. Não demora e eles cumprem os mandatos temporários e sairão da administração, se mudarão da cidade, mas já terão puxado a descarga sobre o futuro do nosso meio ambiente e sobre a cabeça da população.

Por isso, toda mobilização é pouca, para barrar tal desatino ou, quando nada, deixar claro que promessas vãs de que vai haver monitoramento e esclarecimentos engabelatórios não conseguem esconder o óbvio: falta competência dos governantes para encontrar outra opção de lançamento dos dejetos, quanto mais para garantir o que anunciam e prometem. Antes disso, registre-se, mais uma vez, que a pergunta crucial, com relação ao assunto, ainda não foi respondida: se os esgotos serão tratados e não farão mal algum, porque o despejo foi desviado da cachoeira do Fraga, em Rio de Contas?

Na última semana, o estudante Flamarion Barbosa postou um vídeo no site You Tube (clique em http://www.youtube.com/watch?v=tZbBHSt59HE), sob o título “Salve nosso Véu de Noiva”, que realizou com um grupo de jovens, indignados com a decisão da Embasa de canalizar os esgotos para o Rio Brumado, perto do ponto onde começa a Cachoeira de Livramento (“Véu de Noiva”). É também de jovens a grande maioria das mensagens que recebemos manifestando a mesma indignação.

A tentativa dos interesseiros em desqualificar as denúncias veiculadas através da mídia, com ênfase no trabalho deste jornalista, tem produzido efeito contrário, pelo quanto escandalosa e absurda é a decisão da Embasa. Integrantes do governo municipal, por razões que não confessam, embora minoria, tem encampado, vergonhosamente, a posição oficial, sabidamente de interesse restrito e totalmente deslocada no tempo e contrária à preservação ambiental preconizada na Constituição Federal.

Mas, sabemos, também, que servidores conscientes estão desconfortáveis dentro do governo, por ser contra a idéia do chefe, mas sem poder externar isso publicamente. Nesse sentido, é de se louvar a posição firme, política e ecologicamente correta, não sabemos se ainda mantida, mas já tornada pública, do presidente do Legislativo Municipal, Ilídio de Castro, da bancada governista: “Mesmo que a água venha a ser tratada, nós, vereadores, nos posicionamos contra, porque não temos a certeza de que isso ocorra 100%”. (Jornal A Tarde, 28.06.2009, página A 13)

Nessa mesma edição de A Tarde, foi atribuída ao prefeito Carlos Batista, que é médico, a seguinte afirmação: “A diretoria da Embasa me informou que o projeto é muito avançado e vai fazer com que a água que chega à cachoeira tenha um número bem inferior de coliformes, diferente do que estão apregoando na cidade” e que “A própria queda d’água já elimina uma porção de micro-organismos que não podem viver em contato com o oxigênio”. Que absurdo, usar a cachoeira para tratar dejetos de esgoto!

Ou seja, confirmou o risco para a cachoeira, sem se quer admitir a alternativa de se lançar os dejetos em terra, livrando o rio da contaminação. O medo da população justificou-se mais ainda na imprecisão dos termos usados pelo médico/prefeito: “...número bem inferior de coliformes...”, sem dizer quantos, e “... elimina uma porção de micro-organismos...”, tudo sem definição.

Para uma parte dos moradores da cidade, de fato, o risco de contaminação bacteriana é menor, não pelo que disse o prefeito, mas porque, após a cachoeira, a água é submetida a uma grande quantidade de cloro (outro risco para a saúde), na estação de tratamento. Mas e as comunidades - um total de 48 núcleos - que consomem a água bruta? Além disso, o rio morrerá antes da água ser tratada.

“Esse cidadão” sugere a leitura da fábula: “Quando os burros montam nos cavalos”, ou algo perecido, de autor desconhecido.

Tratamento de esgoto vira motivo de polêmica em Livramento

Do Blog do Anderson
________________________________________________

Audiências públicas exibindo dados não convenceram população

Cristiano Anunciação, A Tarde

A construção de uma estação de tratamento de esgoto está provocando polêmica no município de Livramento de Nossa Senhora (a 717 km de Salvador). A obra fica situada na cidade vizinha, Rio de Contas, a apenas 9 km de Livramento, e vai servir para tratar o esgoto que, atualmente, é lançado no Rio Brumado.

O manancial abastece os municípios de Livramento e Dom Basílio. Mesmo com a realização de duas audiências públicas, a população dessas cidades se mostra bastante apreensiva, com medo de contaminação e que o projeto cause problemas ecológicos. O caso foi parar no Ministério Público.

Como Rio de Contas não possui sistema de esgotamento, pois preserva a estrutura arquitetônica do período colonial, grande parte dos dejetos sanitários acaba sendo lançada no Rio Brumado. Para solucionar isso, a Embasa está implantando um sistema de saneamento e tratamento do esgoto na cidade.

Segundo a empresa, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) contabilizou que a água tratada que vai passar a ser despejada no rio terá, pelo menos, mil coliformes fecais por cada 100 ml, o que corresponde a 10%. Este percentual é considerado o ideal pela Embasa, que afirma ser bastante inferior à quantidade atual do rio. Porém não foi apresentada análise que comprove os dados.

DIVISÃO – O assunto divide a cidade. Representantes da prefeitura afirmam não haver problemas. Já os vereadores se colocam, por unanimidade, contra a execução do projeto. “Mesmo que a água venha a ser tratada, nós, vereadores, nos posicionamos contra porque não temos a certeza de que isso ocorra 100%”, disse o presidente da Câmara Municipal, Ilídio de Castro.

Para ele, haverá consequências para o meio ambiente e também para a população da cidade, que consome a água do Rio Brumado. Só nos dois últimos meses, aconteceram duas audiências públicas com a participação de técnicos da Embasa para explicar a finalidade da obra, mas a polêmica continua.

“As pessoas não se sentem convencidas”, contou Castro. A Câmara Municipal procurou, inclusive, o Ministério Público (MP) e já prepara manifestações para barrar a construção. De acordo com a promotora Maria Imaculada Jued Moysés, o caso está sendo apurado.

EXPECTATIVA – A decisão do MP deve sair nos próximos dias. O radialista Antônio Carlos Santos, morador do município de Rio de Contas, disse que a obra vai beneficiar o turismo da região. “Agora, as pessoas que vierem nos visitar podem ficar tranquilas com relação à qualidade da água. Todo mundo vai poder curtir a cachoeira do rio numa boa”, destacou.

A vendedora Suzana Aguiar, de Livramento, afirmou que a população não está inteiramente esclarecida. Dono de um restaurante, Brandino Rocha de Souza, que reside na mesma cidade, também aponta falta de informações. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Livramento, Raimundo Pereira Riqueza, a Embasa não convence a população com suas explicações.

“A preocupação maior é sobre o consumo da água”, disse. Para o produtor de manga Gutemberg Carneiro, a água do Rio Brumado precisa ser examinada urgentemente pela Secretaria da Saúde de Livramento. “A gente teme que a água contamine nossa produção. Eu tenho comprado água para beber”.

QUEIXA – Em abril deste ano, o Ministério Público de Rio de Contas recebeu queixa da prefeitura municipal alegando que a construção estava causando problemas na preservação do patrimônio histórico da cidade e prejudicando a vegetação próxima ao rio. Na audiência pública realizada em maio para discutir o caso, foi firmado um acordo entre MP, prefeitura, Embasa e empresa executora do projeto.

O acordo, que deve ser assinado nas próximas semanas, estabelece que não haja degradação ambiental e do patrimônio. O projeto de construção do sistema de esgotamento em Rio de Contas teve início em 2004. A previsão é que seja finalizada até agosto deste ano.

Fonte: Blog do Anderson

Retiro do Clero da Arquidiocese de Vitória da Conquista em Rio de Contas


De 20 a 24 de julho aconteceu o Retiro Espiritual do Clero da Arquidiocese de Vitoria da Conquista na cidade de Rio de Contas: Ano Sacerdotal 150 anos do Santo Cura d'Ars tema: " Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote". O pregador do Retiro foi o Arcebispo Dom Luís Pepeu com a participação de todo clero da Arquidiocese e dois religiosos.

Degradação do meio ambiente na Serra das Almas em Rio de Contas

Do Blog da Resenha Geral
________________________________________________
Por Klayber Meira Macêdo

OS FATOS:
  • Realizam-se na cidade histórica de Rio de Contas, a nove quilômetros de Livramento de Nossa Senhora e aproximadamente a 20 quilômetros da vizinha Dom Basílio, obras de esgotamento sanitário, envolvendo rede coletora, estação de filtragem de resíduos sólidos e adutora para descarte final.
  • Ocorre que o resíduo líquido final – ponto da nossa preocupação – será lançado, a nosso ver de modo indevido, na principal corrente fluvial da região, o Rio Brumado, mais precisamente em uma das mais belas quedas de água da Bahia, com 300m de altura, conhecida como “Cachoeira de Livramento”, em plena Serra das Almas.
  • A justa indignação resulta do risco que os dejetos, mesmo ditos tratados e a serem despejados diretamente na Cachoeira, representam para os moradores, pois a água dessa cachoeira, pertencente ao Rio Brumado, é destinada ao consumo humano e dos animais e amplamente utilizada para irrigação, incluindo hortifrutigranjeiros de exportação, que se tornaram a base econômica da região.
  • A cachoeira é também considerada um santuário ecológico da Chapada Diamantina, “Cartão Postal” e principal ponto turístico daquela área do sudoeste baiano. Além de risco para a saúde das pessoas, sua contaminação certamente afugentará o fluxo turístico, que desponta como vetor econômico importante para a região.
  • É sabido que a EMBASA, a quem a obra é atribuída e que será a responsável pelo monitoramento do sistema, é reconhecidamente ineficiente no sertão, gerando justificadas desconfianças quanto à eficácia do tratamento sanitário. Pior ainda será se ficar sob a responsabilidade da Prefeitura de Rio de Contas, que não possui estrutura para tanto.
  • Não obstante, é sabido que a forma de tratamento de dejetos que está se instalando em Rio de Contas apenas filtra os resíduos sólidos, remanescendo a contaminação bacteriana. Daí o alto risco para a população, com tendência a se ampliar para animais e lavouras.
  • E basta a simples suspeita de contaminação da cachoeira, para afastar os turistas da área e os compradores dos produtos colhidos em lavouras irrigadas com suas águas, como a manga e o maracujá, atualmente exportados para Europa e América do Norte.
  • O risco de contaminação é tão evidente que o lançamento dos dejetos será feito distante da cidade de Rio de Contas, preservando o trecho do rio que margeia sua zona urbana e uma queda d’água menor – a Cachoeira do Fraga – que fica nos domínios daquele município. Se não houvesse risco, seriam despejados próximo a essa cidade, a apenas 200 metros da estação de tratamento e não conduzidos por 2.500 metros, onerando os custos.

Fonte: Blog da Resenha Geral

Programa transmitido pelas Rádio Cidade AM e 96 FM da cidade de Vitória da Conquista - BA

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Prefeitura divulga lista definitiva de candidatos ao Conselho Tutelar

A prefeitura Municipal de Rio de Contas publicou no Diário Oficial de 20 de julho de 2009 a RESOLUÇÃO Nº 003/CMDCA/2009 que torna pública a relação definitiva dos candidatos inscritos para eleição do Conselho Tutelar de acordo com o edital nº 001/2009.
São eles:

ANTONIO CARLOS SOUZA SANTOS
ANTONIO HERON ALEXANDRE PINA
CAMILA APARECIDA PEREIRA CORREIA
CARLOS LANDULFO DE SOUZA PAU-FERRO
CLAUDINÉIA SILVA RIBEIRO
CLAUDIVINA TEIXEIRA NUNES
CLEIDE DE FÁTIMA LOPES
DANIELA MINEIRO DANTAS
ELIENE DANTAS DOS SANTOS
EUNICE ROSA DA SILVA
EVANILDO AGUIAR DOS SANTOS
GILSON NUNES DE SOUZA
JANICE CONCEIÇÃO RAMOS SANTIAGO
JOANELITA BARBOSA NUNES
JOELISIA SILVA NOVAIS
LUCIANA MARIA DE SOUZA RAMOS
MARIA DAS GRAÇAS RAMOS GOTTSCHALL
MARIÁ GOMES MINEIRO SILVA
RITA MAGDA SILVA RAMOS
SIMONE TEIXEIRA NUNES MELO
A eleição será realizada no dia 29/08/2009.

Poderão votar no dia da eleição apenas as pessoas que forem eleitoras do município e que estejam em dia com suas obrigações eleitorais, munidas de: título de eleitor, carteira de identidade ou documento com foto.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Video faz crítica ao projeto do esgoto e gera comentários preconceituosos

Território no qual todos podem se manifestar livremente, vídeo que defente o meio ambiente e crítica o projeto de esgotamento sanitário em Rio de Contas continua gerando polêmica e comentários preconceituosos.

O vídeo está postado no you tube e também mereceu destaque do Blog do Anderson.

Confiram o link para as duas postagens:

You tube:

Blog do Anderson


Leiam e tirem suas próprias conclusões

sábado, 18 de julho de 2009

II Conferência Municipal de Assistência Social de Rio de Contas

Por meio do Decreto 039/2009 de 13 de julho de 2009 publicado no Diário Oficial do Município a Prefeitura de Rio de Contas convoca a II Conferência Municipal de Assistência Social de Rio de Contas a ser realizado dia 05 de agosto de 2009 e tem como tem central "Participação e Controle Social no SUAS".
O objetivo do evento é avaliar e propor diretrizes para a melhoria na ação da Política de Assistência Social no Município.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Claro em Rio de Contas deverá ser implantada até 30/04/2010


A Claro ao que parece resolveu rasgar o acordo com o Governo do Estado da Bahia que previa a implantação do sinal da empresa em Rio de Contas até dezembro de 2008.

Agora, quem divulga a data de 30/04/2010 é a Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, orgão do Governo Federal que regula o setor de telefonia no Brasil.

Fica claro também que não há evidências de critérios para o cronograma, uma vez que cidades de porte menor que Rio de Contas, a exemplo de Abaíra, Piatã, Aracatu, Rio do Pires, Ibicoara e Itaetê tiveram prazo até 30/04/2009 e já estão com sinal em funcionamento.

Merecimento ou força política?

Reveja a íntegra da notícia em que o Estado celebrava o acordo:

70% dos municípios baianos terão telefonia móvel - matéria de 22/04/2008.

Clique aqui para ver o documento com cronograma fornecido pela ANATEL para a implantação do sinal de celular em diversas cidades do Brasil

Esse diálogo merece reflexão!

*Diálogo construído a partir de sugestões e conversas com alguns leitores. Sobre o que estamos precisando dialogar?mande sua sugestão:


Frio intenso no sertão baiano

Do Clima Tempo
_________________________________________________

Frio intenso castiga moradores do interior da bahia. Em Rio de Contas nesse momento marca 12 graus ,sendo que durante o dia a temperatura não passa de 20ºC, isto porque a cidade fica a mais de 1000 m de altitude o que torna o clima bem ameno ate para sulistas que acham que na bahia não tem inverno.

Fonte: Clima Tempo

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Plenário do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente divulga lista dos candidatos

O Plenário do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, em reunião realizada no dia 10/07/2009, no uso de suas atribuições que lhe confere Lei Municipal nº011 de 22 de agosto de 2005.

RESOLVE:
Art. 1º - Tornar pública a relação provisória dos candidatos inscritos que estão com a ocumentação em concordância com o edital nº 001/2009.

CLEIDE DE FÁTIMA LOPES
CLAUDINEIA SILVA RIBEIRO
ANTÔNIO CARLOS SOUZA SANTOS
ELIENE DANTAS DOS SANTOS
RITA MAGDA SILVA RAMOS
SIMONE TEIXEIRA NUNES MELO
EVANILDO AGUIAR DOS SANTOS
LUCIANA MARIA DE SOUZA RAMOS
CARLOS LANDULFO DE SOUZA PAU-FERRO
MARIA DAS GRAÇAS RAMOS GOTTSCHALL
JOELISIA SILVA NOVAIS

A eleição será realizada no dia 29/08/2009.
Poderão votar no dia da eleição apenas as pessoas que forem eleitoras do município e que estejam em dia com suas obrigações eleitorais, munidas de:
título de eleitor, carteira de identidade ou documento com foto.

Fonte: Diário Oficial do Muncicípio

V Encontro Nacional de Saúde e Bem Estar será realizado em Rio de Contas

Qualidade de vida é um dos temas que tem recebido mais atenção nas ações realizadas pela FTC Conquista. Tanto que, depois do sucesso do IV Congresso Brasileiro de Atividade de Aventura (1º a 4 de julho), outros dois eventos já estão sendo preparados, ambos ligados ao bem estar, às práticas de atividade física e à saúde.

De 16 a 18 de outubro a Faculdade promove o I Encontro Regional de Atividades Experenciais ao Ar Livre. O evento deve acontecer na cidade de Barra do Choça, pequeno município vizinho a Vitória da Conquista.


Já no mês de novembro, é a vez do V Encontro Nacional de Saúde e Bem Estar. Voltado para a necessidade de ampliar as discussões sobre saúde, bem estar e qualidade de vida, numa perspectiva multiprofissional, o encontro deve reunir profissionais, estudantes e pesquisadores. O cenário do Encontro será a cidade histórica de Rio de Contas, na Chapada Diamantina.


"Integrar o estudo com a experiência de vivenciar a qualidade de vida no local do encontro, ou seja, em cidades e regiões que ofereçam essa estrutura, é uma tendência. Os participantes das atividades realizadas pela FTC Conquista nessa área terão esse privilégio", explica o Diretor Acadêmico da FTC Conquista, professor Sérgio Magalhães.


CBAA - Organizador do IV Congresso Brasileiro de Atividade de Aventura, professor Sérgio Magalhães comemora o sucesso do encontro. "Foram 12 meses de planejamento, divulgação e adaptação dos locais naturais para a construção das Vias de Aventura. Nesse sentido, recebemos o apoio integral da FTC", explica.


O CBAA abordou um dos campos mais difundidos pela Educação Física, ecologia e turismo no Brasil: as atividades de aventura na natureza, sob o tema "Nas Trilhas do Conhecimento Sobre Aventura". A Rede de Ensino FTC por meio dos programas FTC Verde e FTC Ativa também tem se destacado nos estudos do assunto.


O congresso promoveu o encontro de pesquisadores, professores, estudantes e profissionais em torno das discussões. Propiciou momentos de debate acadêmico, momentos de vivência de Atividades de Aventura e reflexão sobre a prática profissional destas atividades.


O lazer e a cultura também tiveram seus lugares garantidos, com momentos culturais, de confraternização, ampliação de contatos e a troca de informações e experiências. Foram realizadas apresentações da Banda Café com Blues e de forrozeiros locais e até um Festival de Danças Tradicionais dos Povos.


"O balanço final do evento foi extremamente favorável à produção científica e técnica. Só nos resta agradecer a todos que participaram deste encontro", comemora Sérgio Magalhães. O próximo CBAA será realizado na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo.


Fonte: Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC

Encontro de Pontos de Cultura da Bahia




Nos dias 8 , 9 e 10 de julho aconteceu em Salvador no salão de convenções do hotel Fiesta o 1 encontro de Pontos de Cultura da Bahia com a participação de representantes de 220 Pontos de Cultura.

No dia 08 foi a abertura do evento com várias apresentações artísticas e o cortejo do Véio Griô com os Griôs aprendizes , Mãe Lúcia, Nicolau , Luis Dantas e pessoas que se identificam com a causa da lei Griô. Na abertura do evento foi acesa a CHAMA DA LEI GRIÔ que tem pro objetivo o reconhecimento dos mestres de tradição oral e Griôs .Mãe Lúcia do Bakoma ficou com a responsabilidade de acender e cuidar da chama da lei Griô.

O Véio Griô chamou um a uma para compor a mesa convidando-os através de um cordel da vida de cada um , comporam a mesa Sofia Rocha coordenadora do Ponto de Cultura,Márcio Meirelles Secretário de Cultura do Estado da Bahia , Jaques Wagner Governador da Bahia e tantos outros que fazem a cultura acontecer nesse Estado.

Fonte: Blog do Ponto de Cultura Ciranda de Bonecos

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Atenção alunos: Uneb recebe pedidos de isenção da taxa do Vestibular

Da UNEB
_________________________________________________

A partir desta segunda-feira (13/07) até o próximo domingo (19/07), a Uneb está recebendo pedidos de isenção do pagamento da taxa de inscrição para um dos maiores processos seletivos do país.

Este ano, a estimativa da administração da universidade é de beneficiar com a isenção cerca de 6,5 mil candidatos de baixa renda, estudantes ou egressos da rede público de ensino baiano. O volume será distribuído, proporcionalmente, para todos os 24 campi da universidade.

Os pedidos de isenção devem ser realizados através do site www.vestibular.uneb.br .

Os interessados devem preencher o formulário de isenção, de acordo com as orientações do edital, e efetuar o pagamento do boleto, no valor de R$ 5, exclusivamente no Banco do Brasil.

A relação dos candidatos selecionados será divulgada até o dia 28 de julho. Os candidatos selecionados devem entregar cópia dos documentos especificados no edital no período de 4 a 6 de agosto, na Gerência de Seleção Discente (Gesedi), situada no Campus I, em Salvador; e nos departamentos do interior, no caso dos candidatos que concorrem a vagas em outros campi.

Já os candidatos que solicitarem isenção mas não forem contemplados, vão poder descontar o valor pago (R$ 5) da taxa de inscrição do Vestibular 2010.

Fonte: UNEB

Exposição apresenta cultura preservada dos negros escravos no Museu Oscar Niemeyer

Do Governo do Estado do Paraná ________________________________________________

Hábitos e costumes de descendentes de negros africanos que ainda hoje vivem em comunidades quilombolas, espalhadas por vários estados brasileiros, foram captados pela lente do fotógrafo documentarista André Cypriano, e compõem a mostra “Quilombolas-Tradições e Cultura da Resistência”, que abre neste sábado (18), às 11h, no Museu Oscar Niemeyer. Estas comunidades, cerca de três mil em todo o Brasil, resistem ao tempo e preservam a memória de seus antepassados, perpetuando tradições ancestrais, na culinária, no vestuário, nas danças, nas crenças e na agricultura.A exposição tem o patrocínio da Itaipu Binacional e apoio do Ministério da Cultura, Governo do Paraná e Caixa Econômica. O Museu permanecerá com a bilheteria franqueada no sábado, entre 10h a 12h.

As imagens em preto e branco integram um documentário realizado em 11 comunidades negras remanescentes dos quilombos. Cafundó (SP), Itamatatiua (MA), Oriximiná (PA), Kalunga (GO), Mocambo (SE), Rio de Contas – Barra do Brumado (BA), Conceição dos Caetanos (CE), Tapuio (PI), Curiaú (AP), Mumbuca (TO) e Campinho da Independência (RJ) estão entre os lugares pesquisados e que deram origem ao livro Quilombolas – Tradições e Cultura da Resistência e às mostras. A exibição é complementada pela apresentação de seis mapas, produzidos pelo geógrafo e pesquisador Rafael Araújo dos Anjos. Juntos, o fotógrafo e o cartógrafo retratam os quilombos na atualidade. A pesquisadora e curadora Denise Camargo também integra o trabalho.

Segundo ela, esse trabalho apresenta um tema “ainda desconhecido para a maioria da população brasileira” e ressalta a importância de discutir a questão dos quilombos no Brasil, “como um espaço de preservação das matrizes africanas ancestrais formadoras da identidade nacional”, conforme declarou ao Fotosite. Denise afirmou ainda que as fotografias “não revelam todos os desafios que envolveram o projeto”. “Não contam as conversas emocionantes que tive com os quilombolas durante a produção da viagem. O André Cypriano, desde que o vi pela primeira vez, mostrando um portfólio na (extinta revista) Irisfoto, dez anos atrás, se mostrou um fotógrafo como poucos. Ele sabe que o que está em jogo em um trabalho como esse, é o relacionamento humano. Essas fotografias falam de um enorme respeito pelo outro, pela cultura brasileira, pelas memórias ancestrais.”

Serviço:
Quilombolas – Tradições e Cultura da Resistência
Patrocínio: ITAIPU BINACIONAL
Visitação: de 18 de julho a 18 de outubro
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999
Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h
R$ 4,00 inteira e R$ 2,00 estudantes
Gratuito para grupos agendados da rede pública, do ensino médio e fundamental, para estudantes até 12 anos, maiores de 60 anos e no primeiro domingo de cada mês.

Programação da Rio de Contas FM




sábado, 11 de julho de 2009

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Aberto processo eleitoral para escolha de membros do Conselho Tutelar

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente tornou público o Edital nº. 001/2009, que define o processo de escolha dos 05 (cinco) membros do Conselho Tutelar do Município de Rio de Contas e de seus respectivos suplentes, para o triênio 2009/2011. As inscrições estão abertas no período de 03 de julho a 10 de julho de 2009, das 08:00h às 12:00h e das 14:00h às 16:30h, na Sala do Controle Social, localizada na Prefeitura Municipal, Largo do Rosário, nº 01 – Centro, Rio de Contas - Bahia. Maiores informações no Local ou acessando na internet o Edital.

Edital nº 001/2009

Chapada Diamantina é escolhida como um dos dez ecodestinos do Brasil

Do Governo da Bahia

_________________________________________________

A Chapada Diamantina, região que abrange 28 municípios da Bahia, foi apontada pelo site UOL Viagem como um dos dez principais ecodestinos do país.
A localidade, também conhecida pelo potencial do solo, rico em diamantes e outras pedras preciosas e semipreciosas, dispõe de uma área de 38 mil quilômetros quadrados – maior que países como a Holanda – e possui antigas trilhas de garimpeiros, cachoeiras, montanhas, chapadas.

Tombada há 26 anos pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan), a localidade possui muitas serras onde se iniciam todos os rios das bacias do Paraguaçu, do Jacuípe e do Rio de Contas, que formam piscinas naturais e transparentes. Lá também são encontradas comunidades esotéricas e alternativas como no Vale do Capão.

A Chapada, além das belezas naturais, oferece várias opções de caminhadas pela cidade e longos trekkings pelo Parque Nacional. Os outros atrativos admirados pelos frequentadores são a Cachoeira da Fumaça, com a maior queda livre do Brasil (380 metros), e o deslumbrante Poço Encantado, onde a luz do sol reflete na água uma tonalidade de azul indescritível, além de rochas a 40 metros de profundidade.

O Parque Nacional, que foi criado em 1985, abrange uma área de 152 mil hectares da Serra do Sincorá e arredores, incluindo os municípios de Lençóis, Palmeiras, Andaraí e Mucugê.

Outras atrações podem ser visitadas como o Morro do Pai Inácio (Palmeiras) cartão-postal da Chapada, de onde se tem uma visão de 360º de toda a região, Poço Azul (Nova Redenção), onde acontece o mesmo fenômeno do Poço Encantado, com uma vantagem, o banho nas águas azuis é permitido.

Fonte: AGECOM

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Ações estimulam economia solidária em seis municípios

Do Governo da Bahia
_______________________________________________

Começou esta semana pelos municípios de Rio de Contas, Barra da Estiva e Caetité e segue entre os dias 21 a 24 de julho por Sobradinho, Jaguarari e Juazeiro, a segunda fase da iniciativa que pretende combater a pobreza rural, estimulando o desenvolvimento da economia solidária como estratégia na geração de trabalho e renda.

Os mecanismos que estão sendo utilizados nesta parceria tem sido os do Programa Produzir III, por este se caracterizar como a iniciativa mais importante de combate à pobreza com metodologia participativa.

Esta ação do Governo do Estado é parte do Programa Bahia Solidária, operacionalizado pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), por meio da Superintendência de Economia Solidária (Sesol) juntamente com a Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional (Sedir), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR).

A parceria vai aplicar, nos seis municípios aportes da ordem de R$ 1,150 milhão em 30 projetos voltados para 3 famílias. Os recursos são oriundos do Fundo de Combate à Pobreza (Funcep).

Na primeira fase da parceria, foram aplicados mais de R$ 1.9 milhão em 59 projetos, beneficiando os municípios de Guanambi, Heliópolis, Matina, Palmas de Monte Alto, Itapicuru, Tucano, Banzaê, Araci, e Nazaré e mais de seis mil famílias. Nesta segunda etapa, iniciada terça-feira (7), haverá seis oficinas (uma em cada município) para sensibilização e orientação dos participantes. Os trabalhos começaram por Rio de Contas, Barra da Estiva e Caetité e termina nesta sexta-feira (10). Depois segue para Sobradinho, Jaguarari e Juazeiro, entre os dias 21 a 24 de julho.

Em campo, o trabalho dos técnicos é de socializar os conceitos de economia solidária, assim como identificar, no município, as potencialidades e prioridades para que possam se enquadrar nos critérios da economia solidária e do programa Produzir. Os resultados esperados pelo projeto são: reforço na renda familiar; fomento à criação de empreendimentos de economia solidária; estímulo à produção e comercialização da economia popular e solidária; redução dos impactos negativos da crise econômica.

O programa prevê, ainda, a capacitação dos dirigentes das associações das comunidades beneficiárias e das lideranças locais em melhores práticas de cultivo, associativismo, cooperativismo, microcrédito, políticas públicas, economia solidária, autogestão de empreendimentos socioprodutivos solidários, comercialização. E mais noções de informática para acesso ao Bahia.Gov – portal oficial do Estado da Bahia, nos municípios que dispõem de Infocentros ou acesso à Internet.

Fonte: Governo da Bahia

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Repasse de verbas para Rio de Contas - Junho de 2009


O cidadão que deseja conhecer os valores repassados às prefeituras municipais pode acessar o Demonstrativo de Distribuição de Arrecadação no site do Banco do Brasil (no campo nome do beneficiário insira o nome da sua cidade). O link é:

https://www13.bb.com.br/appbb/portal/gov/ep/srv/daf/index.jsp

Para o mês de junho a prefeitura de Rio de Contas totalizou os seguintes valores:

TOTAL DOS REPASSES NO PERIODO

Débito Benef. =
294.983,95D
Crédito Benef. = 1.186.007,39C

No site é possivel verificar os repasses detalhados das seguintes receitas:

FPM - FUNDO DE PARTICIPACAO DOS MUNICIPIOS
FEP - FUNDO ESPECIAL DO PETROLEO

ICMS - DESONERACAO DAS EXPORTACOES LEI 87/96
ITR - IMPOSTO TERRITORIAL RURAL
ICS - ICMS ESTADUAL
FUS - FUNDO SAUDE
IPM - IPI EXPORTACAO - COTA MUNICIPIO
CID - CIDE-CONTRIB. INTERVENCAO DOMINIO ECONOMICO
FUNDEB - FNDO MANUT DES EDUC BASICA E VLRIZ PROF EDUC
SNA - SIMPLES NACIONAL
IPV - IPVA-IMPOSTO SOBRE PROP. VEICULOS AUTOMOTORES
IES - FIES-FUNDO INVEST.ECONOMICO SOCIAL DA BAHIA


Por conter inúmeros valores colocamos aqui apenas o valor global, para saber detalhadamente os valores individuais de cada repasse é só acessar o referido link.

Fonte: DAF - Distribuição de Arrecadação Federal

terça-feira, 7 de julho de 2009

Rio de Contas receberá nesta quarta, 08, ambulância do Estado

Da SESAB
________________________________________________

Sessenta novas ambulâncias vão reforçar a assistência em saúde de 59 municípios baianos. Os veículos serão entregues pelo governador Jaques Wagner e pelo secretário da Saúde, Jorge Solla, nesta quarta-feira, dia 8, às 8 horas, no pátio externo da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), na 4ª Avenida do Centro Administrativo da Bahia - CAB.


Quase todas as regiões serão contempladas, sendo que esta é a segunda entrega de veículos novos para a Saúde em menos de seis meses: em março, o governador entregou 162 veículos para as Diretorias Regionais de Saúde (Dires). As ambulâncias são dotadas de todos os equipamentos necessários para dar suporte básico ao deslocamento dos pacientes, representando importante reforço para os gestores municipais.


Unidade de Pronto Atendimento - UPA


A Secretaria da Saúde (Sesab) e o Ministério da Saúde, em conjunto com 36 municípios, vão implantar 45 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que deverão estar todas em pleno funcionamento já em 2010. A expectativa é de que, após instaladas, essas unidades prestarão atendimento mensal a mais de 300 mil pessoas. Com assistência 24 horas, sete dias por semana, as UPAs - Unidades de Pronto Atendimento são unidades com estrutura de complexidade intermediária, entre as unidades básicas de saúde e os hospitais de emergência, voltadas para agilizar o atendimento e desafogar as unidades hospitalares, compondo rede organizada de Atenção às Urgências no modelo dos antigos Pronto-Socorro.


As Unidades de Pronto Atendimento - UPA - são compostas de consultórios, salas para procedimentos como nebulização, sutura, gesso, exames como raios-X, laboratório, farmácia, sala de observação e sala equipada com recursos para estabilizar pacientes mais graves. A escolha das cidades contempladas observa alguns critérios preferenciais, entre eles estão os seguintes: da cidade ser pólo de microrregião, a quantidade de habitantes e sua importância logística para o atendimento regional. A implantação das UPAs é um esforço conjunto entre o governo estadual, municípios, conselhos e secretarias de saúde, formando a Política Nacional de Atenção às Urgências, promovida pelo Ministério da Saúde.


MUNICÍPIOS ATENDIDOS


Ambulâncias:


Aramari, Barro Preto, Bom Jesus da Serra, Cachoeira, Caldeirão Grande, Camamu, Canápolis, Cansanção, Coração de Maria, Cordeiros, Crisópolis, Curaçá, Dário Meira, Encruzilhada, Feira da Mata, Gandu, Gavião, Guajeru, Guanambi, Heliópolis, Ibipitanga, Igrapiúna, Ipirá, Irará, Itaju do Colônia, Itanhém, Itapitanga, Jacobina, Jaguari, Jiquiriçá, Juazeiro (2), Macajuba, Malhada, Miguel Calmon, Paripiranga, Pau Brasil, Pé de Serra, Pilão Arcado, Planaltino, Pojuca, Prado, Remanso, Riachão do Jacuípe, Ribeirão do Largo, Rio de Contas, Ruy Barbosa, Santa Luzia, Sento Sé, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Sobradinho, Tanquinho, Teixeira de Freitas, Teofilândia, Tremedal, Ubaíra, Umburanas, Valente e Várzea da Roça.


UPAs:


Salvador (7), Feira de Santana (3), Vitória da Conquista (2), Juazeiro, Camaçari, Ilhéus, Itabuna, Lauro de Freitas, Jequié, Barreiras, Alagoinhas, Esplanada, Rio Real, Teixeira de Freitas, Porto Seguro, Simões Filho, Paulo Afonso, Eunápolis, Valença, Santo Antonio de Jesus, Candeias, Guanambi, Jacobina, Capim Grosso, Morro do Chapéu, Senhor do Bonfim, Itapetinga, Bom Jesus da Lapa, Irecê, Cruz das Almas, Poções, Santa Maria da Vitória, Seabra, Gandu, Brumado, Luis Eduardo Magalhães.


Ascom Sesab
7/julho/2009

Fonte: SESAB

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Veja como foi o São João em Marcolino Moura

Da Prefeitura de Rio de Contas
_________________________________________________

O melhor São João das Serras da Chapada Diamantina foi no Arraiá de Marcolino Moura em Rio de Contas.

Quem gosta das tradições Nordestinas, sabe o que é uma festa genuinamente junina. E é por isso que todo mundo que conhece o Arraiá de Marcolino Moura em Rio de Contas, quem já participou dessa festa inesquecível, não perde a oportunidade de viver essa emoção novamente.

Uma tradição que surgiu há décadas, por iniciativa dos moradores da comunidade, que reunida brincava e se alegrava em volta das fogueiras em pequenas concentrações. A coisa foi crescendo, vieram as inovações, as brincadeiras juninas, as quadrilhas, o forró animando e aquecendo as noites frias da Chapada e enchendo de alegria o São João de Marcolino Moura no mês de junho, o mês mais alegre do ano no sertão.

Esta tradição ganhou força e hoje já faz parte dos festejos oficiais do município. Infelizmente, por algum tempo, esta festa deixou de receber a atenção e o apoio que merece, mas, graças às mudanças de comportamento de toda a comunidade riocontense, inclusive no que diz respeito ao pleito eleitoral, muita persistência dos organizadores determinados, um povo guerreiro que não desiste nem se deixa vencer, foram à luta e esse ano a coisa teve uma outra face, a face da alegria, da confraternização, da liberdade e do apoio decisivo do ilustre filho da terra o Prefeito Dr. Márcio Farias que se orgulha de ter nascido em Marcolino Moura, torrão que guarda histórias de lutas e conquistas para o município de Rio de Contas.

Com o patrocínio da Prefeitura Municipal, a festa cresceu e superou todas as expectativas de público e animação. Com entusiasmo os moradores e convidados brincaram e se divertiram com atrações como o Casamento na Roça, Quebra Pote, Bumba meu Boi, Trança Fitas, Quadrilhas, Fogueiras, "Pau" de São João, a Queima de Fogos, tradicional Queima de espadas e até o Jegue Som.

O resultado de todo esforço empreendido na organização da festança, foi nada menos que um dos melhores festejos de São João que a comunidade de Marcolino Moura já viu, tendo a honra de receber atrações musicais de peso como: XODÓ DA BAHIA, CHAPÉU DE COURO, CALDO DE CANA, EDMILSON BATISTA, RENAN MOREIRA, LUARADA BANDA, BANDA REPRISE, CHICO MIA, dentre outras.

Atraídas pela expectativa de um grande acontecimento, a multidão festeira chegou por lá e o arraia de Marcolino Moura foi só alegria.

Parabéns a toda a comunidade, ao Prefeito Dr. Márcio, aos assessores Júnior, João Souto e toda equipe administrativa, também às demais personalidades que se sensibilizaram com a importância desta tradicional festa popular e colaboraram de forma decisiva para o sucesso do evento.

Se você não esteve lá, não perca no ano que vem a chance de participar de um evento aconchegante, autêntico e animado. No coração da Chapada Diamantina, no clima típico da região, momentos inesquecíveis aguardam os visitantes. O sucesso deste e de outros eventos culturais em Rio de contas, representa o desejo latente de um povo em valorizar e manter viva a chama do folclore sertanejo.

Por: Samuel Rodrigues de Lima

Veja aqui as Fotos

Fonte: Prefeitura de Rio de Contas

Direito ao meio ambiente saudável

Jornalista Raimundo Marinho

É o que assegura a Constituição do Brasil (art. 225) a todos os cidadãos deste país, que impõe “ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”. Portanto, independe da vontade de gestores ocasionais, muitas vezes incapazes de perceber a grandeza do assunto ou movidos por conveniências pessoais. Um sistema de gestão se revela incapaz e se torna ineficiente quando se manifesta incompetente em compreender e planejar o futuro, abdicando do seu compromisso para com a coletividade.

A preocupação e esforço gerencial da administração pública, para não falar em inteligência, pois inteligência por vezes não há, devem se direcionar integralmente ao interesse público, sobrepondo-se às conveniências pessoais e ou políticas. O pensamento administrativo deve se expandir para corresponder ao significado da grandiosidade da vida comunitária, que jamais deve ser comprimida no quadrante limitado de uma gestão incapaz. É nesse sentido que deve ser entendida a procuração dada pelo voto e não para a prática de desmandos.

Até mesmo porque a sabedoria coletiva, ainda que sem rebuscamento técnico e intelectual, acaba vencendo e pondo-se acima da mediocridade político-gerencial que se abate sobre uma comunidade, principalmente nos tempos modernos. Ainda que, na prática, não represente muita coisa, a não ser a quebra, periodicamente, de certas hegemonias, de certos círculos viciosos e deletérios, como nos exemplos das eleições municipais de 2004, em Livramento de Nossa Senhora, Bahia, e a estadual, de 2006.

Pior é quando ocorre dos afiados críticos de outrora, quando alçados ao poder, tornarem-se tão medíocres e ineficientes quantos os antecessores, com enormes prejuízos e frustrações para a comunidade. E isso é predominante no Brasil. A principal exceção recente talvez seja a do poder central, em que o governo de Luiz Inácio da Silva, a despeito das inúmeras fendas que apresenta, tem sido, em tudo por tudo, melhor do que o do antecessor Fernando Henrique Cardoso, que enganou o Brasil, não o mundo, com sua lábia intelectual.

No item “sabedoria coletiva”, podemos dizer que está mais do que claro que a população de Livramento de Nossa Senhora, incluindo as pessoas que evitam se manifestar publicamente, não aceita o risco de contaminação e possibilidade de desaparecimento da sua cachoeira, em razão do repudiado lançamento dos dejetos sanitários da vizinha cidade de Rio de Contas no Rio Brumado. A direção da Embasa esgotou os esclarecimentos técnicos em torno da eficiência do tratamento a que garante submeter tais resíduos, embora reconhecendo que remanescerá um índice de pelos menos 1.000 coliformes fecais por cada 100 ml de água.

Ainda que venha a ser assegurada a eliminação total da contaminação bacteriológica, por conta da adição de cloro, na estação de tratamento da água, ainda subsistirão os resíduos químicos, e o risco do rio e cachoeira (antes da estação) serem permanentemente afetados. Sem falar no perigo integral que continuará existindo para as populações que consomem a água bruta, colhida ao longo dos canais naturais e nas vias de irrigação do Projeto do DNOCS.

De qualquer modo, os esclarecimentos técnicos, durante a “reunião comunitária” que acabou ganhando conotação política, não convenceram nem mesmo aos cidadãos comuns, que estão a fazer as já popularizadas perguntas: “por que não jogar os dejetos em outro local, deixando a água do rio 100% pura, como sempre foi o desejo dos moradores?” e “se o tratamento do esgoto é tão eficiente, não deixando risco para a saúde, por que não será o mesmo lançado na Cachoeira do Fraga, em Rio de Contas?”.

Em reforço aos esclarecimentos dados pelos técnicos da Embasa, o prefeito de Livramento, Sr. Carlos Roberto Souto Batista, que reafirmou peremptoriamente seu apoio ao lançamento dos esgotos no Rio Brumado, disse que, ele mesmo, vai monitorar o tratamento. Suas exatas palavras foram: “Eu vou monitorar esse projeto”. E, como que para não ficar dúvida, repetiu: “Vocês podem me cobrar, que eu vou monitorar esse tratamento”. Determinação, aliás, que já poderia ter sido aplicada, para melhorar a situação atual, que é considerada ruim.

Mas não diria que houve excesso verbal e nem que haja motivo para se duvidar das palavras e determinação do prefeito. Mas ele nunca poderá cumprir integralmente o que prometeu, pois não tem qualquer autoridade ou poder gerencial junto a Embasa, que é uma empresa do Estado. E, ainda que tivesse, não será prefeito eternamente. O máximo que poderá fazer, e poderá fazê-lo independente de ser prefeito, é coletar amostras de água e realizar exames periódicos, mas eventuais providências somente a empresa de águas poderá tomar.

O que se teme atualmente e se quer evitar preventivamente é um desastre ecológico, que poderá resultar na morte do rio e da cachoeira, o que só será visível, no médio ou longo prazo, como aconteceu com o “pinicão” de Livramento. E, quando isso ocorrer, o prefeito já não será mais prefeito e a atual diretoria da Embasa já terá desaparecido. Ademais, se o Estado é tão deficiente na prestação de outros serviços importantes, como saúde, educação, estradas, segurança etc., porque só a Embasa seria uma ilha de eficiência, e apenas em Livramento de Nossa Senhora?

E quando o leite já tiver sido derramado, aparecerá alguém, inclusive do governo (que será outro), lá na frente, para questionar: “E por que ninguém fez nada quando a obra estava sendo realizada?”. Então, a população está certa em querer providências preventivas, agora, como o despejo dos dejetos em terra, por exemplo, e em exigir proteção do nosso santuário ecológico e água 100% pura, que deveria ser o principal objetivo da obra de saneamento que se realiza em Rio de Contas.

Mas os executivos municipais e da Embasa preferem desqualificar as denúncias que a mídia tem veiculado, mais especificamente esse jornalista, sob os ultrapassados e equivocados argumentos de que sou de direita e, notadamente, de que estou a serviço da facção política local contrária. Nem mesmo se deram conta de que não existe mais facção contrária, tudo está embalado, monoliticamente, no mesmo projeto de governo, de costas para a população.

Ainda quanto à dita “facção política contrária”, onde os caolhos representantes do o governo municipal me colocam, é imperioso ainda lembrar, que aqui ela só se manifesta nas vésperas de eleições, para a mesma pregação ilusória de sempre, pela qual, por esses fenômenos inexplicáveis da vida, muitos ainda se deixam seduzir.

Fonte: O Mandacaru

Embasa afirma: a água do Rio Brumado melhorará.

Da Prefeitura de Livramento
________________________________________________

Em Audiência Pública realizada na Associação dos Amigos de Livramento, no último dia 22, Diretor e Técnicos da Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa), voltaram a afirmar que com as obras de saneamento básico no vizinho município de Rio de Contas a balneabilidade do Rio Brumado em nosso município melhorará.

Representando a empresa de Saneamento estavam o seu Diretor de operações, o Engenheiro Civil, Especialista em Engenharia Sanitária e Controle de Poluição das Águas, Eduardo Araújo; o Superintendente de Meio Ambiente e Projetos, Engenheiro Químico, Mestre em Desenvolvimento Sustentável pela UFBA, Professor de Engenharia Ambiental da Universidade Metropolitana de Camaçari e Presidente da Câmara Técnica de Tecnologia do CNRH, Júlio Cesar Rocha Matos e o Assessor Técnico da Superintendência de Esgotos de Salvador, o Engenheiro Civil, especialista em Saúde Pública, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Mestre em Engenharia Sanitária e Ambiental, pela UFPB, Professor de Engenharia Ambiental e Tratamentos de Esgotos da UFBA, Virgílio Bandeiras.

Todos foram unânimes em afirmar que a qualidade das águas do Rio Brumado terá uma melhora a partir da entrada em funcionamento do sistema de esgotamento sanitário, que está sendo realizado no vizinho município de Rio de Contas. O esgoto, hoje jogado in natura no Rio, deixará de ser direcionado às águas fluviais e terão como destino os tanques de tratamento da empresa, sendo jogado ao Rio apenas as águas desinfetadas.

O Diretor de operações da Embasa desmistificou a opinião de esgoto se trata com raios infravermelhos, como havia sido noticiado em um blog da cidade e afirmou que raios ultravioletas, encontrados no Sol, sim ajudam na desinfecção das águas.

Até mesmo críticos ferrenhos da obra concordaram em sua fala: "eu aceito, eu acho que as explicações técnicas da Embasa são suficientes", afirmou um crítico.

Durante a Audiência foram apresentadas explicações de funcionamento Estações de Tratamento de esgotos adotados por empresas de saneamento em todo mundo, que se assemelham em muito ao que está sendo implantado em Rio de Contas.

Fonte: Prefeitura de Livramento

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Você conhece e sabe cantar o hino ao 2 de Julho?

Comemoração da Independência da Bahia


LOCAL: Largo da Lapinha e Campo Grande
DATA: 02.07.09 (quinta-feira)
HORÁRIO: 8h


O QUE É: Comemorações do dia da Independência da Bahia.


INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

COMEMORAÇÕES: Tiveram início na quarta-feira, no bairro de Pirajá, com a chegada do fogo simbólico, por volta das 15h30, e acendimento da pira. Antes de chegar a Salvador, a chama passou pelas cidades de Cachoeira, Saubara, Santo Amaro, São Francisco do Conde, Candeias, Simões Filho, Valéria, conduzida por soldados do Exército e atletas baianos.

PROGRAMAÇÃO MATUTINA: Começa com a alvorada de fogos no Largo da Lapinha, às 6h, e segue com o hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia, de Salvador e do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHBA). Após a execução do hino Nacional pela banda da Marinha e a colocação de flores no monumento ao general Labatut, os carros dos Caboclos serão entregues pela presidente do IGHBA, Consuelo Pondé, e ao prefeito da cidade, João Henrique Carneiro. O desfile será iniciado às 9h30, após a execução do hino ao 2 de Julho. Durante o cortejo estão previstas as seguintes paradas:

Homenagem aos heróis da Independência, em frente ao Convento da Soledade;
Pronunciamento de um membro da Ordem Terceira do Carmo, em frente a sede da instituição religiosa;
Homenagem da Irmandade Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em frente à igreja.

Às 11h30, os carros simbólicos ficarão recolhidos nos caramanchões da Praça Thomé de Souza, encerrando as atividades matinais.

PROGRAMAÇÃO VESPERTINA: As atividades serão retomadas com o pronunciamento do presidente da Câmara Municipal de Salvador, vereador Alan Sanches. Com a chegada do desfile ao Campo Grande, haverá novamente o hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia e de Salvador. Em seguida, será executado o hino Nacional pelas bandas da Marinha, Exército, Aeronáutica, Polícia Militar (PM) e Corpo de Bombeiros; depositadas flores no monumento ao 2 de Julho e executado pela banda da Polícia Militar, acompanhada do coral de mil vozes dos seus alunos, o hino ao 2 de Julho. O acendimento da pira e a execução do hino Nacional junto com o coral encerram a programação oficial.

HISTÓRIA: Em junho de 1822, o povo de Cachoeira assumiu a liderança do movimento que deflagrou a guerra pela independência da Bahia ao reagir as investidas de uma tropa de militares portugueses, a bordo de canhoeira lusitana fundeada no Rio Paraguaçu, que tentava sitiar a vila com o objetivo de sufocar a mobilização popular contra a dominação colonial. No dia 25 de junho de 1822, os vereadores cachoeiranos reunidos no prédio da Câmara redigiram uma ata aclamando D. Pedro de Alcântara, príncipe regente perpétuo do Brasil. Os cachoeiranos declararam, então, que, a partir daquele dia, a cidade seria território livre do domínio de Portugal. Por isso a data é considerada o marco das lutas no processo de independência da Bahia, culminada no dia 2 de julho de 1823.

NOVIDADES: Este ano foram incorporadas às comemorações do 2 de julho homenagens a Marinha Brasileira e a Ala Esquerda do Exército Pacificador. Antes da retomada do desfile, na sede do 2º Distrito Naval, o hasteamento de bandeiras e a continência de civis e militares celebrarão a vitória nos mares das forças brasileiras, fundamental para o desfecho da Guerra da Independência por impedir que esquadra inimiga reabastecesse a cidade sitiada. Já no Forte de São Pedro, uma placa comemorativa, além de um grupamento de cadetes da Polícia Militar e alunos do colégio da PM com bandeiras e símbolos dos municípios baianos que participaram da batalha histórica, irão rememorar a participação dos voluntários baianos, lavradores, vaqueiros e tropeiros, na Guerra da Independência. Esses soldados-cidadãos que vieram do interior para participar dos combates fizeram do movimento emancipador baiano uma luta popular, diferente do que aconteceu em Minas Gerais, por exemplo, onde as confabulações com sentimento separatista ficaram restritas às famílias ricas.

SHOWS: Às 12h30, no Terreiro de Jesus, diversas atrações se apresentarão no Forró da Independência. Já às 19h, a cantora Cláudia Leitte faz show no Farol da Barra em comemoração a Independência da Bahia.

Fonte: Governo do Estado da Bahia

INGÁ : Encontros pelas Águas começam em agosto

Do INGÁ _________________________________________________

Reuniões entre Governo do Estado e comunidades tradicionais fortalecem a gestão participativa das águas no Estado da Bahia

Entre os dias 24 de agosto e 28 de novembro, representantes de comunidades de terreiro, de quilombolas, de marisqueiras e pescadores, de povos indígenas, de fundo de pasto, de gerazeiros e das mulheres participam de sete encontros para dialogar com o Governo da Bahia sobre os problemas relacionados às águas do local onde moram e sobre as diretrizes das políticas públicas da gestão das águas.

As reuniões, promovidas pelo Instituto de Gestão das Águas e Clima (INGÁ), autarquia da Secretaria do Meio Ambiente, farão parte do II Encontros pelas Águas, que foi instituído pelo governador Jaques Wagner no dia 05 de junho, durante o seminário Nordeste: Água, Desenvolvimento e Sustentabilidade.
Um dos principais objetivos dos encontros é fortalecer a gestão participativa das águas no Estado da Bahia, com a inserção dos povos e comunidades tradicionais, garantindo a diversidade étnica, racial e cultural para a justiça sócio-ambiental. Como resultado das articulação, será elaboração a II Carta Pelas Águas, ao final de toda jornada pelo interior baiano.

O documento, que será entregue ao Governo Estadual na III Conferência estadual de Meio Ambiente de 2110, relatará os principais problemas enfrentado pelas comunidades em relação às águas e ao meio ambiente e apontá diretrizes para a política de gestão das águas.

A primeira edição dos Encontros pelas Águas foi promovida pelo INGÁ no segundo semestre de 2007, quando cerca de três mil pessoas participaram de nove encontros pelo interior do Estado. Os resultados foram formatados na Carta Pelas Águas, entregue ao governador Jaques Wagner em junho do ano passado. O documento se transformou em uma publicação, editada e lançada pelo INGÁ em 2008.

“Os Encontros pelas Águas proporcionam uma aproximação dos diversos segmentos sociais com os órgãos e autarquias do Estado, possibilitando um canal de diálogo permanente, construindo assim políticas públicas que atendam as necessidades e as expectativas da sociedade em relação à água”, explica o assessor do INGÁ para Povos e Comunidades Tradicionais, Diosmar Santana Filho.

Cachoeira sedia primeiro encontro

A cidade de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, a 116 quilômetros, será sede da primeira reunião do Encontro pelas Águas 2009. Será no dia 24 de agosto, com as comunidades de Terreiros. Em seguida os gerazeiros se encontram em Santa Maria da Vitória, em 12 de setembro, e, no dia 24 do mesmo mês, os marisqueiros e pescadores se reúnem no município de Prado, no Extremo Sul.

Em outubro acontecem duas reuniões. Os representantes de fundo de pasto e os quilombolas participam dos encontros dos dias 17 e 31, respectivamente, em Itiúba e Carinhanha, cada grupo. A segunda versão dos Encontros Pelas Águas será encerrada em Novembro. No dia 14 acontece o encontro das mulheres, no município de Rio de Contas, e no dia 28 os povos indígenas celebram o encerramento dos eventos, em Santa Cruz de Cabrália.

Parceria com a UNFPA vai fortalecer ações dos Encontros

O INGÁ desenvolve, em parceria com o Fundo de Populações das Nações Unidas (UNFPA), ações com o objetivo de promover a eqüidade de raça, etnia e gênero. A iniciativa pretende garantir o direito à gestão de recursos hídricos e a transversalidade com as demais políticas públicas no Estado.

A parceria envolve programas como o Encontro pelas Águas, para garantir o processo de inclusão dos povos e comunidades tradicionais na Gestão Participativa das Águas no Estado da Bahia. O INGÁ e o UNFPA serão parceiros na produção de ações e publicações relacionadas aos direitos humanos, com a perspectiva de inclusão das comunidades tradicionais. A união institucional aposta no fortalecimento das ações voltadas para o desenvolvimento das populações e a garantia dos direitos na gestão das águas.

A representante do UNFPA no Brasil, Alanna Armitage, ressalta a importância da água para as atividades humanas. “A água é o princípio de todas as coisas, das pessoas e de seus projetos de vida. Permeia todas as relações humanas, dando sentido a nossa existência. Ao fortalecer a gestão participativa e inclusiva das águas, o INGÁ reitera o compromisso com a promoção do direito à igualdade na diversidade e dos direitos das gerações futuras”, afirmou Armitage.

Fonte: INGÁ