domingo, 2 de agosto de 2009

Secretária de Meio Ambiente de Rio de Contas responde às últimas polêmicas


Nos últimos meses a imprensa da regional e baiana vem abrindo espaço para críticas ao projeto de esgotamento sanitário de Rio de Contas. Há uma forte oposição a tais projetos por parte de moradores de Livramento e Dom Basílio por conta do receio de contaminação das águas do Rio Brumado que corta os referidos municípios.

A notícia vem recebendo grande destaque em meios de comunicação como o Jornal A Tarde (que disse inclusive que Rio de Contas estava situada no sul da Bahia), das emissora de Rádio e Blogs de Vitória de Conquista, 96 FM e Cidade AM, Blog do Herzem Gusmão (importante radialista e ex-candidato a prefeito na última eleição) e Blog do Anderson.

A prefeitura de Livramento posicionou-se favoravelmente ao projeto em audiência na Câmara dos Vereadores e a Embasa chegou a divulgar nota técnica em defesa do projeto.

O Notícias de Rio de Contas publica agora a íntegra do comentário enviado ao nosso site pela Secretária de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Rio de Contas, Ana Paula Soares.

Hoje estive lendo algumas notícias de Rio de Contas no seu blog, excelente iniciativa, e não pude deixar de tecer alguns comentários que gostaria que publicasse. A respeito do Esgotamento Sanitário de Rio de Contas:


1) Como militante ambientalista de longa data, sinto que estas notícias estão vazias no sentido de que não se preocupam em trazer à opinião pública dados técnicos. Não se preocupam em chegar a conclusões embasadas em dados sérios, mas ficam dando opiniões calçadas em "achismos", e isto não resolve o problema. Pelo contrário, enfraquece a credibilidade local no movimento ambientalista como um todo, quando a impressão que fica é a de que estão se utilizando de temas tão sérios como Meio Ambiente para criar factóides políticos. Quando realmente se tem convicção de que algo está muito errado, se aciona todos os meios possíveis, inclusive os técnicos e o jurídicos, para se respaldar nas denúncias.

A imprensa é mais um elemento de mobilização popular, de sensibilização da opinião pública, e não um veículo de se falar muito e agir pouco, sem proatividade, assertividade e, arriscaria ainda, seriedade. Por exemplo, em 2000 o MAG - Movimento Ambientalista Gavião, do qual fui uma das fundadoras, denunciou a localização do destino final dos resíduos sólidos em Rio de Contas, porque, na época, o então prefeito, entendeu de jogá-lo num lixão sem planejamento que abriu, perigosamente próximo a uma nascente importante para Livramento, inclusive, o riacho do Soares. Denunciamos, ao Ministério Público do Estado, além de pedir perícia técnica ao MP, porque o dito gestor da época alegava ser um "aterro sanitário", inclusive com estudos escritos por empresa de engenharia contratada que alegava não ter problema nenhum. Aí sim, acionamos a imprensa pra nos dar suporte, porque lutávamos contra o poderio hegemônico do carlismo, e a imprensa era importante para sensibilizar a sociedade e os movimentos populares. Conseguimos que o MP enviasse um técnico ao local, e ele fez um parecer técnico, com parâmetros técnicos, que definiu a completa irregularidade do depósito de resíduos sólidos.

Conseguimos portanto, a comprovação de que aquela nascente e seu riacho corriam sérios riscos e a atividade teve de ser interrompida. Muito me admira que depois de termos duas audiências públicas onde técnicos da EMBASA apresentaram seus argumentos, o movimento "preocupado" com as águas do Rio Brumado não apresentou nenhum tipo de contra-argumentação séria e técnica. Isto tudo, além de enfraquecer a credibilidade dos Militantes ambientais também enfraquece a credibilidade na imprensa, que fica o tempo todo argumentando coisas vazias... Bom, já se dizia: "Uma mentira contada várias vezes pode virar verdade."

2) Para dar continuidade aos insights que os textos suscitaram, fica a pergunta: Quando coloca-se numa manchete: "Degradação Ambiental na Serra das Almas em Rio de Contas", porque não se pensa em toda a degradação ambiental provocada na Serra das Almas, na parte que tange a Livramento??? Pra começo de conversa, não se vê preocupação em aceitar mineradoras completamente irregulares que abriram uma imensa ferida irremediável numa das serras mais lindas da Bahia... É sim, isto fica nas cercanias de Itaguaçu. Aceitaram sem nenhum questionamento, sem nenhum embargo, sem pedir explicações em audiência pública. Colocaram em risco sítios arqueológicos maravilhosos, que até hoje não foram devidamente estudados, inclusive marcando algumas rochas com pinturas rupestres para dinamitar. Interessante, não houve intervenção nem da imprensa, muito menos destes doutos senhores preocupados com o meio ambiente...

3) Em 2007 e 2008 focos de incêndios desastrosos advindos de Itaguaçu assolaram ambos os lados da Serra das Almas, tanto em Livramento quanto em Rio de Contas, e não vimos estes ambientalistas agirem no sentido de quererem apurarem os motivos ou os culpados pelo ocorrido. Não se propôs nada, deixou-se passar em brancas nuvens, nem sequer um ato de preocupação com a prevenção para não acontecer novos episódios como aqueles... Nem uma cobrança dos "ambientalistas de plantão". Este ano, quem passar pela BA 148, desde agora em julho, verá focos e mais focos de queimadas ocorrendo sem nenhum controle... E nenhuma linha é escrita sobre o assunto...

4) Muito me admira alguns produtores de manga em Livramento de Nossa Senhora se preocuparem hoje com a qualidade da água. Porque não se preocupam desde que a Barragem assoreou o rio Brumado, de forma irremediável e que isto fez com que o lençol freático subisse, impedindo muitos moradores de Rio de Contas de terem suas fossas? Porque nunca se preocuparam com a quantidade coliformes fecais que estão aumentando de forma progressiva e descendo para suas captações de irrigação? Se o problema ambiental do pólo de fruticultura fosse os culiformes, há muito tempo o MAPA os teria inviabilizado para consumo humano. Sem falar na quantidade de agrotóxicos utilizados nestas plantações, que inviabilizam qualquer fauna nestas plantações, como pássaros, abelhas e sapos. Sobre as abelhas ainda, soube que nem pra fazer a polinização as tem mais, e que mãos humanas atualmente estão fazendo o serviço dessas abelhas porque elas morreram todas de tanto agrotóxico.

E, interessante, nenhuma letra sobre isto é escrita, nem digna de subir aos palcos da internet e demais formas de mídia para serem seriamente discutidas e/ou denunciadas. Além disso, não se discute quais são os impactos que essas substâncias causam ao lençol freático e ao Rio Brumado, bem como ao consumo humano de quem está abaixo destas plantações e não se tem discutido de forma conclusiva os impactos na saúde dos trabalhadores rurais que manejam com estes defensívos agrícolas. Deixamos claro com isso que a questão não é Livramento deixar de ser produtivo, pelo contrário, é importante para todo mundo da região; mas sim, repensar a forma de produzir, em métodos mais sustentáveis a longo prazo, já que numa das matérias se fala em gerações futuras... Bom, é interessante começar a pensar em sustentabilidade, senão deixaremos para as gerações futuras uma terra fraca e sem condições de sustentabilidade.

Aconselho a estes ambientalistas a pesquisarem sobre a diferença entre sustentável e sustentado... isto faz uma diferença incrível. Para terminar e tirar destes insights algumas considerações finais é que podemos sinalizar para algumas coisas a respeito da degradação ambiental em nossa região e em nossa Serra em comum: Meio Ambiente é algo muito sério para ser tratado de forma tão leviana. Não é a 'bola da vez" só para estar na moda... Não é questão de política partidária... Não é questão de egos feridos... é uma questão para todos, e deve ser encarado de forma séria, corajosa e preocupada realmente com o TODO, com o planeta, de forma holística.

Saudações Verdes

Paula

O Notícias de Rio de Contas agradece a Secretária de Meio Ambiente, Ana Paula e ressalta mais uma vez o caráter democrático e franco que esse espaço procura abrir.

Quaisquer interessados podem enviar seus comentários:

4 comentários:

Anônimo disse...

Sugiro que a secretária veja o histórico de reportagens do sitio Mandacaru da Serra e note que várias linhas foram escritas sobre os agrotóxicos e a mineradora em Livramento.

Tatiane disse...

Bons argumentos Paula!

Paula disse...

Não estamos falando de notícias vazias e sem respaldo técnico. Um ambientalista que se preze vai realmente atrás das causas, e se necessário denuncia, busca ajuda com órgãos que dêem suporte técnico, e não falam aleatoriamente sem maiores comprometimentos!

Raimundo Marinho disse...

Comovente o relato da Secretária. Ainda mais quando se arvora a juiza do conteúdo da mídia. Fez considerações tão ou mais aleatórias quanto as que contrariaram seus interesses. Não fez o que sugere para os outros, ou seja, se informar melhor. Ou ela não sabe da luta do Ministério Público para evitar que a Embasa fizesse intervenções indevidas no patrimônio tombado da cidade de rio de Contas? Por que ela não fala dos problemas de adução que vai enfrentar o atual sistema de esgotos implantados em Rio de Contas? Por que agredir o trabalho de quem ela nem conhece e sequer leu tudo sobre o que critica?

Raimundo Marinho (www.mandacarudaserra.com.br)