quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Mudanças em festas católicas desagradam a população

Tudo começa um ano antes da festa: famílias se inscrevem em sorteios para ser o festeiro do ano seguinte. Orações e torcida no momento do sorteio. Após o resultado o atual festeiro e a bandeira caminham em direção à casa do novo festeiro.

Uma semana antes da festa há quermesses e a tradicional visita da bandeira acompanhada pela Lira dos Artistas às casas dos moradores sempre acompanhada pelos fogos de artifícios.

Nos nove dias que antecedem a festa celebram-se as tradicionais novenas e na vespéra os animados leilões, que na festa de Sant'Ana, devido ao inverno rigoroso de julho era sempre acompanhado da tradicional fogueira.

Alvoradas, filarmônicas, folhetos, lembranças, paezinhos, bandeirinhas, decorações, cânticos, sorteio, festeiro...

O ritual é grande e os detalhes maiores ainda. Elementos que fazem de Rio de Contas uma cidade essencialmente católica. Entretanto toda essa mobilização que costumava ocorrer nas festas religiosas da cidade veem perdendo o brilho por conta da imposição da Igreja que quer aboliar a tradicional forma de celebração das principais festas em que havia a tradicional figura do "festeiro". São Sebastião, Divino Espiríto Santo, Senhora Sant'Ana, Bom Jesus e Imaculada Conceição.

Como substituição à tradicional forma de realização das festas está o Conselho Paroquial. Uma forma de "inovar" e "desmonopolizar" as realizações dos eventos religiosos da cidade.

Entretanto ficam perguntas: é possível a Igreja manter a motivação dos fiéis ao impor tais mudanças? a figura do festeiro era prejudicial à realização dos eventos? até que ponto essas mudanças são positivas ao patrimônio cultural e imaterial da cidade?

37 comentários:

ró disse...

fico muito triste com essas mudanças...
uma festa tão linda nos meus empos de criança, que vejo padres e a propria igreja catolica, destruindo as tradições da nossa cidade, que amo tanto.
muito triste....

Renato Trindade disse...

Eu senti um tremendo vazio no peito quando me deparei com esta situação. Tenho medo de que todas as culturas da cidade se acabem.
Fui componente da Filarmônica Lira dos Artistas e aprendi muitos valores lá. Hoje temo que estes valores não sejam mais disseminados e que a Lira não tenha mais motivação para existir, já que a sua maior participaçã são nos eventos da Igreja Católica, que não mais existirão.

Anônimo disse...

essa padre ta acabando com a tradisao da cidade e nao podemos deixa isso acontese , ele vem da onde o juddas perdeu as bota para qerer acabar com os festejos qer e tradicao em rio de contas nao podemos deixa isso acontecer

locutor josé soares disse...

Acho que a venda de bebidas alcoólicas em festas religiosas deve ser evitada, é uma excelente decisão, Mas pelo outro lado as barracas não, é uma forma das pessoas que vivem das barracas ganharem um pouquinho mais de dinheiro,
Lembrando aqui que di vez enquanto tem barraca do lado da igreja
Ou seja, se for barraca da igreja pode ?

Renato disse...

Eu vejo que os incomodados com as medidas do Padre Valderi são sempre aquelas pessoas que usavam a Igreja para desfilar com seus vestidos caros e se "expor" à comunidade.
As medidas tomadas pelo padre, a meu ver, só vai melhorar o andamento das coisas e deselitizar os festejos riocontenses.
PS: Tem gente com saudades do Cícero!

ARMANDO disse...

A TRADIÇÃO DAS FESTAS RELIGIOSAS DA ZONA RURAL TAMBEM ESTÁ ACABANDO POR CONTA DE UMA IDEIA ERRADA DE UM PADRE QUE AO CONTRÁRIO DE JESUS CRISTO NÃO ATRAI NINGUEM PARA A IGREJA MAS SIM AFASTA. ELE DEVE PREGAR A PALAVTRA DE DEUS E NÃO DITAR REGRAS.

Ajuda Pra Tudo disse...

Quem se considera fiel verdadeiramente, vai entender as mudanças, vai continuar com sua fé inabalada, seguir sua vida servindo a Deus da melhor forma: amando e ensinando a amar. O que realmente importa é o amor de Deus na vida das pessoas. As festas representam apenas uma manifestação cultural, uma forma de louvar e agradecer. Rio de Contas não perde nem ganha com isto. Quem publica uma notícia destas está ciente de que haverá comentários expressando todo tipo de opinião, isto é bom, precisamos de mais diálogos e interação na internet, pois esta é a nossa geração, a geração da informação.
Não permitam que pequenos fatos te roubem o que mais importa na tua vida que é o amor de Deus.

Continuemos a manisfestar nossa gratidão louvando a Deus sempre inovando. Servir a Deus é somente amar.

Obrigado por compartilhar.

Ivan Pires.

Anônimo disse...

Concordo com Renato. Essa história de vive o luxo e morre o buxo é antiga. Acredito que deve-se evitar estas festas de aparências, ainda mais utilizando-se dos Santos para arrecadações de dinheiro público para realizar festas com altos custos. Já que usa o nome da igreja e dos Santos que ela mesma realize os seus festejos com o tal conselho que deve ser representado por setores da sociedade.Já vimos histórias de desvios de muito dinheiro com essa tal arrecadação em nome dos santos com as bandeiras,liastas e leilões.Já que muitos se preocupam tanto com a tradição tá na hora da comunidade, IPHAN, Prefeitura e pessoas envolvidas com o turismo se organizem e façam os eventos com a filarmônica e artistas locais os próprios custos. A igreja está correta, ela pecisa ser auto sustentavél e tá na hora de separar este profano do religioso. Na hora das brigas nos eventos, desvios e etc... cada um se assume, não que a igreja tenha somente santos mais é preciso que cada um assuma seu papel.

Anônimo disse...

Bom,Renato,nunca usei roupas caras,
nunca PROCUREI A igreja para desfilar;na igreja procuro encontrar os ensinamento de Cristo,COISA QUE TODOS DEVERIAM FAZER A FICAR REPARANDO OS OUTROS, COMO VÃO OU COMO DEIXÃO DE IR.Outro dia saí da Igreja,SIM, quandO esse padre a que você se refere afirmou que os "gastos com a Banda eram gastos SUPÉRFLUOS"... ESPERO QUE VOCÊ TENHA NOÇÃO DO SIGNIFICADO DESSA EXPRESSÃO, SENSIBILIDADE E CONHECIMENTO CULTURAL PARA ENTENDER O REAL SENTIDO DOS LINDOS ACORDES DA BANDA.ESSE FOI SÓ UM DOS MOTIVOS.PROCURE SE INFORMAR MELHOR SOBRE OS OUTROS, VAI LHE FAZERE BEM,

LUCIENE

Anônimo disse...

Muito bem Renato as pessoas de rio de contas acha chique ir para a igreja mostra as roupas o verdadeiro sentido de ir para a igreja não tem.

Alex Dantas disse...

Em primeiro lugar quero parabenizar aos que defenderam a tradição religiosa riocontense nesse blog. Em segundo lugar quero que RENATO (sem ser o Trindade)saiba que as festas não eram elitizadas. Todas as pessoas que se interessavam em ser festeiras, juntamente com amigos e familiares, tinham seus nomes no sorteio. Não era só a elite não, isso é falta de informação. Antes do sorteio, "Cicero" (o padre, pois acredito que Renato se esqueceu desse detalhe)via os nomes dos candidatos que já eram previamente selecionados de acordo com os rigores da Igreja! Os outros padres também faziam isso.
O fato é que atualmente são muitas as mudanças que ocorrem, e grande parte da população está insatisfeita, embora muitos não tenham coragem de se expressar.

Alex Dantas disse...

E mais...
Eu quero saber que medidas são essas, além daquelas que acabam com as tradições e impõem uma vontade própria? Será que tudo o que os outros padres fizeram até hoje estava errado? Os líderes da Igreja Católica poderiam pensar mais de uma vez antes de acabar com as tradições de um povo. É como se alguém entrasse em nossa casa e mudasse tudo de lugar, acabasse com umas coisas, colocassem outras... Eu já fui festeiro, sei bem o que é organizar uma festa e não fiz nada sem a ajuda do povo. Eu tive meu grupo (comissão)que me ajudou e muito. Não peguei um centavo da arrecadação, muito pelo contrário, tve ajuda para cobrir algumas despesas pós-festa. Mas fiz tudo com muito amor!
Não podemos negar que alguns feitos do padre são bons, sim. Quando leva a religião aos bairros distantes, quando alterna os lugares de celebração. Isso é bom, movimenta, motiva, chama. Mas acabar com nossos costumes, bons costumes, nossa tradição e nossa cultura? Jamais. É o cúmulo do desrespeito cultural! Só lamento o fato de alguns filhos da terra participarem de forma passiva desse processo de aculturação do nosso povo!
Quanto às roupas novas e desfiles em dias de festas, prefiro não opinar. É uma questão de observação. Quem foi para a igreja só para reparar nas roupas dos outros sabe quem está usando roupa nova ou velha.
Espero que essas informações possam ajudar RENATO a entender melhor a maneira como eram realizadas as nossas festas.

Alex Dantas disse...

Sentir saudades é natural. Só sentimos saudades do que gostamos. será que quando Valderi (padre)for embora da cidade vai deixar saudade? Ele ainda pode deixar, ainda há tempo para isso.
Se a gente não tivesse novas oportunidades para a vida, de que adiantaria viver?
Se alguém está com saudades de "Cícero", é porque razões existem para isso!

Anônimo disse...

Parabéns Alex, concordo com seus dizeres. Já passou da hora da população Riocontense se manisfestar, esse tal Padre, mande ele implantar cultura na terra dele não na nossa.

Marcos Trindade disse...

Um povo que não preza o seu passado não tem futuro. Não valorizar a cultura alheia é apenas mais um sintoma de quem não tem cultura. Entretanto, creio que o padre que aí está não tem culpa, pois certamente as "mudanças" são impostas de cima para baixo pela hierarquia católica. E quem está insatisfeito terá que, literalmente, "queixar-se ao bispo". Não vai adiantar nada...
Como não sou católico, não posso emitir conceitos a respeito de fé, mas como riocontense só tenho a lamentar a morte anunciada das nossas tradições.

Anônimo disse...

Em vêz dessas discurssões de foguetórios,repiques de sinos, festas roupas e luxuozas vamos procurar alternativas para a sobrevivência do povo pobre de Rio de Contas. Já que a igreja não pode pagar a banda nem gastar tantos com o os luxos estamos tirando as nossas responsabilidades e também das autoridades e deixando correr por baixo a corrupção e pilantragem. Esquecam de festas e vamos por a mão na massa.

Anônimo disse...

Só quem fala mal do padre valderi é a elite de rio de contas por que ele não tá dando oportunidade para essas pessoas na igreja e as Maria microfone tá morrendo de raiva.
Tem muita gente boa na igreja que vai rezar mas outras só vão para mostra as roupas mesmo e não adianta dizer que não por que sempre foi assim dês de quando construiu a igreja a séculos e séculos valeu padre vauderiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Renato disse...

Senhores,
Observar não é mal algum, afinal sempre olhamos a todos que nos cercam.
As medidas tomadas pelo Padre valderí não são tomadas para prejudicar a CULTURA LOCAL e sim para adequar as "tradições riocontenses às da Igreja". Ir de encontro a isso é desinformação! Ou sja, falta de catequese adequada!
Indico a todos que criticam, que hoje na internet, se encontra vários artigos de padres e teólogos sobre as verdadeiras TRADIÇÕES CATÓLICAS.
A verdade dói e o Padre diz muitas verdades: deve ser por isso todo essa raiva contra ele.

Anônimo disse...

Alex Dantas, suas colocações são muito interessantes! Valorizar a cultura é ponto primordial em toda e qualquer sociedade e “comunidade”. Você participou ativamente da Igreja católica de Rio de Contas, é membro de um movimento centenário na paróquia e por isso deve saber com detalhes de toda a dificuldade que a mesma sempre encontrou para se manter viva. Nem um ser humano é igual, se a festa da qual você foi festeiro aconteceu dessa forma que você descreveu, que bom! Por outro lado, tente se informar melhor com o tal “conselho” como muitos costumam dizer, pois a realidade é meio triste. Existe, ainda hoje, festeiros das antigas “festas culturais” que até hoje não prestaram conta para a igreja, outros que apresentavam listas falsas e assim por diante. Ninguém quer acabar com as festas da igreja, nem mesmo Valderi. Se a bandeira não está circulando pelas ruas não é por ordem do Pe. e sim por não termos voluntários que se disponham a fazer isso. E quanto a Lira dos Artistas é preciso que a população crie consciência de que ela é um bem muitíssimo importante e de responsabilidade de “toda a nossa comunidade riocontense” e não somente da igreja católica.

Alex disse...

Torna-se necessário esclarecer aqui que minha intenção não é falar mal de ninguém.
Quero dizer para "Anônimo" (não sei porque não se identifica)que estou informado sobre o que é e como funciona um conselho, afinal participo dos movimentos da Igreja Católica (Tradicional de origem)desde criança. Fui criado nisso. o objetivo do Conselho é bom, e mais que isso, é necessário! As festas então continuariam como de costume, com algumas mudanças, leves é claro para não desagradar ninguém ou agradar a poucos. Se tudo fosse feito com mais cuidado talvez não teria despertado tantos sentimentos no povo, pois é ele (o povo) que também faz a igreja.Quanto à saidas das bandeiras às ruas, antes tinha quem organizasse e agora quem organizou? Eu não moro mais aí, não poderia organizar, mas porquê você "anônimo" e outras pessoas do conselho não organizaram? "Se alguém quiser sair que saia". Hoje está sendo assim, não se busca preservar não, e isso não é falta de informação nem de catequese adequada. Estou começando a crer que vocÊ não entendeu bem minhas colocações. Também não vou subestimar sua formação, mas quero que saibas que eu FUI CRIADO NISSO!
Falei da "minha" festa sim, e de outras que testemunhei. E vi também muitos festeiros colocarem dinheiro do próprio bolso, pois a arrecadação não era suficiente.
E se "muitos disseram por aí" sobre o "tal conselho", quero dizer que faço parte do grupo que disse isso mesmo e não escondo. O conselho está cumprindo sua função, mas deixou de se preocupar com a tradição. TRADIÇÃO SIM, DIGO E REPITO! Porquê vocês que hoje defendem tanto essas inovações não faziam isso há alguns anos atrás? Onde estavam? Aliás onde estão? Até agora não sei quem são os "anônimos". Estarei em Rio de Contas amanhã (dias 24 e 25). Me procure que poderemos conversar melhor!

Alex Dantas disse...

Esqueci de assinar o comentário que fiz acima.
Bom Renato, assim como a igreja Católica tem tradições, os países, os Estados e as cidades também têm. Fomos criados assim, cada um com suas tradições e costumes. Catequese é uma só, a mesma que vocÊ recebeu e recebe, nós que escrevemos acima também recebemos.
Em relação ao que Marcos Trindade esclareceu, realmente é de cima pra baixo que funciona, mas existem tradições que nem sempre oa maiores (num bom sentido) conhecem, pois são muitas e variadas. Cada lugar tem a sua, nem dariam conta de conhecer todas. É claro que a hierarquia existe, mas neste caso a culpa não é só dela.
Não estamos aqui para falar mal de ninguém, muito menos do padre. Não temos raiva dele, é importante que "anônimo" entenda isso. Estamos falando de religião, tradição, bons costumes, não cabe raiva nessa nossa discussão. Não foi o que Cristo deixou. Somos pessoas maduras e não sentiríamos raiva disso, seria muito frágil de nossa parte. Mas ficamos incomodados e temos esse direito.
A quem falou de deixar de gastar com festas e gastar com os mais necessitados, digo que a responsabilidade é de todos e não só de quem faz as festas, ou seja, povo da igreja. As religiões, por serem sinal do amor de Deus (e deuses) na terra tem como obrigação de fazer isso. Mas se for para ajudar dessa forma não teríamos que tirar somente das festas. Tiraríamos das nossas roupas, dos nossos exageros, dos gastos desnecessários e daríamos a eles. Teria que tirar de tudo um pouco. Se você não admira a tradição das festas, é sua opinião, eu respeito. Sugiro que comece você então a pensar em alternativas e apresente para que possamos ajudar.
E quem falou de "Marias microfone" deveria pensar melhor pois ainda hoje existem pessoas que sempre utilizam esse equipamento na igreja e não são MArias microfones, são pessoas humildes, simples, de fé. Não estão lá para falar ao microfone, nem nunca estiveram. Há sim quem goste de microfone, mas isso não se restringe à igreja! Sinceramente essa foi boa!
VAMOS TOMAR MAIS CUIDADO COM O QUE FALAMOS!

Alex Dantas disse...

Espero que um dia essa discussão encontre um concenso!

Anônimo disse...

Meu querido alex, estar aqui dois dias e achar que vai mudar toda uma situação é muita pretenção sua, quem está incomodado é você! Você já concluiu seus estudos e se está tão insatisfeito com as mudanças que aqui ocorrem, venha então participar ativamente da cultura local, venha reavivar as tradições e você vai ver que em alguns casos, na maioria deles, não se trata mais de falta de organização e sim de disposição, ou você acha mesmo que as pessoas que sempre fizeram essa tradição acontecer são imortais? Ninguém aguenta rodar com bandeiras a vida toda, não temos pessoas que disponham de saúde para continuar fazendo isso. Catequese é algo que não tem fim, somos catequisados a cada dia, se você nasceu nisso aqui como você mesmo falou é preciso se lembrar de qua as coisas são mutáveis e essas mudanças são necessárias. Ao invés de esperar que alguém do conselho o procure para prestar esclarecimentos, vá você em busca deles e não se esqueça de que muita gente ouviu você dizer na época da semana santa que a igreja de Rio de Contas estava vivendo em meados dos anos 60, ou seja, em plena ditadura militar... Pense bem, "A boca só fala o que o coração ta cheio". A nossa igreja ta de portas abertas, inclusive para manter acesa todas as nossas tradições, mas é preciso que à frente da tradição esteja a verdadeira ação, devoção, vocação e, principalmente, oração.

Anônimo disse...

"Quanto à saidas das bandeiras às ruas, antes tinha quem organizasse e agora quem organizou?Eu não moro mais aí, não poderia organizar, mas porquê você "anônimo" e outras pessoas do conselho não organizaram? "Se alguém quiser sair que saia". Hoje está sendo assim, não se busca preservar não,!

Alex: Em relação a esse comentário em que você se refere às saídas das bandeiras, é importante ressaltar que: se Deus deu ao homem o livre arbítrio não é o conselho que vai impor condições aos fiéis! Não existe esse negócio de delegar funções porque ninguém é obrigado a fazer o que não quer. A religião precisa ser vivida, sentida, buscada e não imposta! Tente não se contradizer tanto nas suas colocações, pois ao mesmo tempo em que você diz falar você diz não falar, e lembre-se a igreja da qual você participa também usa a liberdade de expressão... mostre então a tua coragem e use o ambão para explanar diante da assembléia a tua insatisfação.

Anônimo disse...

GOSTARIA DE PARABENIZAR ALEX POR SUA CORAGEM E DETERMINAÇÃO EM DEFENDER A NOSSA CULTURA E TRADIÇÃO.
E GOSTARIA TAMBÉM DE DIZER QUE A PESSOA QUE FEZ O COMENTÁRIO DE QUE "QUEM ESTA RECLAMANDO DO PADRE SÓ É A ELITE" ESTÁ MUITO ENGANADO, NÃO É SÓ A ELITE QUE PARTICIPA DAS FESTAS, POIS OS "FESTEIROS" ERAM ESCOLHIDOS ATRAVÉS DE SORTEIO, PORTANTO TODOS QUE SENTISSEM VONTADE PODERIAM SE CANDIDATAR, E QUANTO A AFIRMAÇÃO DE QUE "O PADRE ESTÁ AGINDO DE ACORDO COM A CULTURA DA IGREJA CATÓLICA" POR QUE OS ANTERIORES NÃO FIZERAM O MESMO? ESTARIAM ELES DESOBEDECENDO TAL CULTURA?
MUDÂNÇAS SÃO SIM NECESÁRIAS, MAS MUDÂNÇAS QUE VENHAM PARA O BEM, E NÃO MUDÂNÇAS AUTORITÁRIAS, O TEMPO DA "DITADURA ACABOU" OU ESTOU ENGANADO? UMA IGRÉJA CATÓLICA IMPOSITORA E AUTORITÁRIA FAZ PARTE DO PASSADO, COMO O PRÓPRIO NOME JA DIZ, SOMOS UMA COMUNIDADE, TEMOS QUE TOMAR AS DECISÕES CONJUNTAMENTE,
AS PESSOAS DEVERIAM SER CONSUTADOS ANTES E SEREM IMPLANTADAS MUDÂNÇAS, ASSIM EVITANDO INSATISFAÇÕES COMO ESTÁ OCORRENDO NA NOSSA QUERIDA RIO DE CONTAS.
VAMOS LÁ, RIOCONTENSES OU NÃO QUE ADIMIRAM AS FESTAS RELIGIOSAS,NÃO VAMOS DEIXAR ESSA TRADIÇÃO SÉCULAR MORRER.
QUANTO AS ROUPAS DAS PESSOAS, CADA UM SE VESTE DE ACORDO COM AS SUAS POSSIBILIDADES, NÃO SÓ NA IGREJA MAS EM TODOS OS LUGARE, A ROUPA É O QUE MENOS IMPORTA, O IMPORTANTE É O QUE TEMOS POR DENTRO, EM NOSSO CORAÇÃO, QUE É O VERDADEIRO AMOR E SATISFAÇÃO EM LOUVAR A NOSSO BOM DEUS,COISA QUE NAO DEVE TER QUEM ANDA "REPARANDO" AS VESTES DAS PESSOAS.
AS PESSOAS ESTÃO INSATISFEITAS COM ESSAS MUDÂNÇAS, ISSO SÓ FAZ COM QUE AS PESSOAS SE AFASTEM DA IGREJA, ISSO PODE SER FACILMENTE OBSERVADO.
SE FOSSE FEITO UMA PESQUISA, PROVAVELMENTE A MAIORIA DAS PESSOAS SE DEMONSTRARIAM DESCONTENTE. ALIÁS, PORQUE NÃO FAZER UMA?
FICA AI A SUGESTÃO..

ORKUT FESTASCRELIGIOSAS DE RIO DE CONTAS.


ORKUT: FRRC@HOTMAIL.COM.
GOSTARIA DE CONVIDAR A TODOS QUE SÃO "CONTRA" E "A FAVOR" A PARTICIPAREM DA NOSSA COMUNIDADE, LÁ TAMBÉM É UM ESPAÇO PARA TODOS SE MANIFESTAREM.
DESDE JÁ AGRADEÇO A TODOS.

Anônimo disse...

Não creio que Rio de Contas seja uma cidade essencialmente católica como descrevem acima... Eu sou Riocontense e protestante, não convém me identificar porque não quero ficar debatendo questões sem fundamento que sobrepõem a fé! E mais, pelo que li acima pude perceber que as pessoas mais incomodadas com os ultimos acontecimentos da igreja católica são aquelas que em nada contribuem para a igreja se manter viva, nem sequer participam das celebrações e a maioria nem tem uma religião!

Alex Dantas disse...

Interessante o comentário do riocontense protestante, mas falta mais um pouco de conhecimentos dessa cultura. Não concordo quando você disse que as pessoas incomodadas são aquelas que em nada contribuem. Muitos dos que contribuiram e ainda contribuem estão insatisfeitos sim, mas não tem coragem de falar nem expor nada, "têm medo"! Mas a cultura riocontense não se restringe somente à igreja católica, é claro. Porém, os costumes que a Igreja Católica mantém, também construíram a nossa cultura, assim como cada um de nós.

Meu querido "anônimo", eu disse que mudaria alguma coisa em dois dias? Mais uma vez, vejo que você não entendeu, mas tudo bem. Vejo também que me conhece bastante, e acredito que te conheço também, é claro. Pois bem, os dois dias aos quais me referi seriam para conversar com você, afim de que não fiquemos somente aqui na internet. E digo a você que seria interessante ir ao ambão, mas lá não é lugar para isso e também se fosse pra todos que estão insatisfeitos irem ao ambão, não haveria tempo, nem ambão rsss.
Em relação à disposição para rodar com as bandeiras, ah meu caro, pode ser que você não tenha disposição, isso já é problema seu e de quem não dispõe de tempo nem coragem para isso.
Muita gente me ouviu falar na Semana Santa sim o que eu disse, inclusive você. Mas você não ouve o que as outras pessoas falam pela cidade. Conclui meus estudos sim, mas infelizmente não tive oportunidade para seguir minha carreira aí em Rio de Contas, nem posso dar continuidade a eles aí, mas saiba você que estou ciente do que acontece.
é preciso que você entenda meu caro que não estamos aqui para trazer discórdia, aí sim estaríamos caminhando para contradizer a nossa fé! Calma! O meu desejo é que tudo se resolva em paz e chegemos a um concenso.
Se você prestar bem atenção no que escrevi acima entenderá que "Se alguém quiser sair que saia" está entre aspas, não são palavras minhas. Eu comentei essas palavras!
Você me pediu para mostrar coragem e ir ao ambão,muito bem. MOSTRE TAMBÉM A TUA E SE IDENTIFIQUE AQUI. Precisamos saber quem é você, que possui inteligência e demontra sua fé, isso é claro meu caro. Sei que você é uma pessoa de fé, de amor, pelo menos é o que demonstra. Por isso te peço, vamos conversar nós dois, me procure e a gente resolve tudo em paz, sem mágoas e má impressão de ninguém ok?
Aqui onde moro, vivo minha fé, busco evoluir espiritualmente e sei que aí também buscam, assim, tanto aí quanto aqui estamos buscando os mesmos conhecimentos para atingirmos um único objetivo: praticar cada vez mais o amor a Deus a ao próximo!
Portanto, tente não julgar tanto e saiba que ninguém é imortal ou insubistituível, mas há casos em que muitas pessoas que já se foram ou estão entre nós, fizeram e fazem memória.
Você já ouviu falar no doutor Basílio da Rocha, Maria Brandão, Maria Cantora, Esther Trindade, Donata, Vó Guió, entre outros?.....
"Imortal pelo exemplo que deixou, imortal pelo bem que praticou" Eis um trecho de uma poesia de d. Esther se referindo ao doutor Basílio, médico, porém humilde, humilde e bom! Maria Cantora, mulher de fé que encantou tantas vidas. Donata e Vó Guió, parteiras de primeira qualidade e mulheres de força e determinação para tudo, E Esther, poetisa, riocontense, mulher de coragem, de força, de amor e humildade! Maria Brandão, comunista convicta, que detestava a desigualdade e as imposições contra os menos favorecidos. Até hoje são lembradas por todos. Imortais! Talvez você "anônimo" não se lembrou disso quando afirmou o acima citado.
Mais uma vez, tenha mais cuidado!

E lembre-se de assinar o que escreve, pois acredito que se esqueceu disso também.

Alex Dantas disse...

Basta! essa discussão já está caminhando em direção às direfenças pessoais, se assim continuar, não haverá mais sentido expor idéia alguma aqui!

Alex Dantas disse...

Seria pretensão minha sim, querer mudar muita coisa em dois dias, jamais pensei nisso! Mas ainda que tivesse pensado isso, não daria mesmo para mudar toda uma situação, até mesmo porque muito tempo já passou e muito do que foi tirado levará um tempo maior para se refazer: a alegria de muitas pessoas, humildes por sinal, que não se cansam de lamentar e est]ao desanimadas! É claro que elas não tem culpa, talvez agem inocentemente! e nós também muitas vezes. É claro que nossa fé deve ser trabalhada num sentido amplo, cada vez mais. Trabalhada e vivenciada. Lembro-me de quando participava da Legião de Maria e íamos em casas de muitas pessoas, sobretudo as que estavammais distantes da igreja, para tentar levar um pouco da palavra. Muitas vezes nos surpreendíamos com o exemplo de fé que nos davam! Mas havia aquelas que estavam sem ânimo para a vida e nós, com todo cuidado, levávamos amor, carinho, atenção a todas elas. É disso que precisamos, viver nossa fé e se vivemos nossa fé, preservamos nossos bons costumes. Rezar uma Avé Maria é tradição, um ofício é tradição, sair em procissão é tradição, enfim...tudo é tradição. Não há por onde escapar!!!

Alex disse...

Quem aqui falou em impor algo a alguém? Quem falou em mandar alguém fazer determinadas coisas?Eu falei organizar e não delegar. Quantas e quantas vezes as várias funções da Ireja foram distribuídas e nem por isso foram impostas. Quem quisesse fazer aceitava numa boa, mas também se não quisesse não era obrigado. Acho que fugiu um pouco da noção de contradissão.
E mais, se Deus deu ao ser humano o livre e arbítrio, é sinal de que nem Ele mesmo impôs. Até nisso é sabedoria plena! É Deus!
Sabe "anônimo", estou percebendo que você participa ativamente dos movimentos, graças a Deus, ainda bem que isso acontece, pelo menos há trabalhadores. Estive pensando bastante e tenho algumas sugestões, creio que não fugirão da liturgia, da tradição católica e nem de tradição riocontense. É mudança também, mas de maneira diferente, uma forma de reunir todos os festeiros numa comissão só que realizasse todas as festas daquele ano, de maneira que membros do conselho também tomassem conta da fiscalização da festa. Pensei nisso, mas é mais detalhado e não queria falar por aqui. Qualquer coisa entre em contato: alexdantas18@hotmail.com.

Santíssimo Sacramento nos abençoe!

Alex disse...

CORREÇÃO:

Era CONTRADIÇÃO e não "contradissão" como escrevi.

Anônimo disse...

Alex, a sugestão de mudança que você descreve em seu último comentário já vem sendo praticada sim! Em relação ao comentário em que você se refere aos "imortais da nossa história" São imortais sim e sempre serão nos exemplos de fé, cultura, força e determinação que nos deixaram, porém eu me referi a imortalidade da matéria e da disposição da mesma. Em relação ao "ambão" eu sei que lá não é local para debater insatisfações (é um lugar sagrado), foi uma forma de expressar que, nenhum dos incomodados, inclusive você, vão falar diretamente para o conselho ou para o Pe. Valderi sobre esta imensa insatisfação, ficam falando pela internet, "onde nem todos tem acesso" ou na maioria das vezes por trás. Em relação aos trabalhos pastorais, não pense que eles acabaram, pelo contrário, hoje nós temos pastorais e grupos que permanecem ativos e atuantes, como Movimento Mãe Rainha, Legião de Maria (que continua realizando fielmente seus trabalhos), Apostolado da Oração, Mej, Pastoral do Batismo, Do Idoso, Meces, Coroinhas, Catequese, da Criança, Da Família, Do Dízimo, Da Liturgia, entre outras, formadas por pessoas de fé que buscam levar "sim" palavras de conforto e de fé aos necessitados. Em relação à imposição e delegação das tarefas é preciso que você saiba que todos são convidados a fazer, mas na maioria das vezes não podem e, ou não querem, por isso não são obrigados. Além disso, a Paróquia do SS. Sacramento "hoje" pode dizer que celebra a Eucaristia mensalmente em todas as comunidades, nas comunidades menores estão sendo celebradas missas uma vez ao mês e nas maiores duas vezes ao mês. Se você se lembrar bem da sua época aqui vai perceber que existiam comunidades em que havia missa uma vez ao ano, isso quando tinha. Algumas comunidades reclamavam de não conhecer o Padre! Também acho que não adianta ficar mais com esses assuntos, não vamos mesmo chegar a resultados esperados. E já que você sabe quem sou, que bom, pois não tenho interesse de me identificar, não por falta de coragem, só não vejo necessidade, pois o que quero é viver a minha fé, falar dela, defendê-la e isso eu posso fazer anonimamente. "... Eu não preciso ser reconhecido por ninguém, a minha gloria é fazer com que conheçam a Ti e que diminua eu para que tu cresças Senhor, mais e mais..." Grande abraço Alex! Ah, não existem mágoas em meus comentários, em meu coração não tem espaço para sentimentos tão pequenos e mesquinhos.

Alex disse...

Que bom, fico feliz em saber dessas novidades em nossa paróquia. Sempre serei paroquiano do Santíssimo, hoje dos dois, dele e de sua mãe em Conquista.
Fico mais feliz em saber que em seu coração ná há espaço para mágoas. Feliz coincidência esta, pois no meu também não há.
Deus sabe bem o que Ele faz, assim, vamos esperar o tempo passar e deixar Deus falar por nós! E nós falarmos dele!
É bom que os que estão incomodados vão até o padre falar o que querem (ou o que queremos), porém, mesmo sem irmos até ele, não deve faltar quem fale (nunca faltou) Mas aí vai depender das atitudes de cada um. Como alguém disse antes, acima, a internet hoje dá espaço para que o mundo esteja em nossas mãos e é claro, pode ser até um meio de evitar leva e trás porque o que se escreve ou diz na internet fica registrado, não muda com o passar adiante. É nosso correio atual! Eu também, meu caro, não estou buscando reconhecimnto ou conhecimento de ninguém, pois quem me conhece é Deus e isso já me basta, sendo que Ele também me deu oportunidades para que eu me reconheça e esteja em paz com minha consciência, aquele sopro Divino que nos aproxima dele!
Ah, e fico feliz também em saber que a sugestão de mudança já está sendo praticada.
Ademais só posso desejar um bom trabalho pastoral e que nosa fé seja continuamente e cotidianamente praticada no amor e na caridade, como nos diz o Papa Bento XVI em sua Encíclica!
Paz e bençãos para todos!

Anônimo disse...

Em 1967, fui Imperador do Divino Espírito Santo. Em 1995 e 2009, Festeiro de São Sebastião. Todas estas festas foram feitas como manda a tradição cultural riocontense: novenas, missa solene, banda, procissão, flores, foguetes, leilão, incenso, entrega de bandeira ao próximo festeiro, entusiasmo, participação dos paroquianos e, principalmente a fé e alegria em comemoração à festa do Santo. Em todas estas festas, a colaboração popular foi a responsável pelo sucesso de todas. Em volta do festeiro, espontaneamente, formava-se uma comissão que garantia a programação. Era trabalho para o ano todo: começava com a escolha em sorteio e só acabava com a entrega da bandeira.


Em todo Brasil, país de muitas culturas e tradições, manifestações diversas acontecem há séculos, cada dia mais valorizadas e incentivadas. Algumas até tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional, mas, infelizmente, Rio de Contas está na contra-mão da História, acabando com um patrimônio imaterial que parecia eterno, irretocável, até porque funcionava e era de uma beleza incrível e de uma dignidade ímpar na celebração
dos Santos mais venerados pela comunidade.

Mas, como diz o poeta,

“Veio um marquês de uma terra já perdida
E uma vez se fez dono da vida
Mandou buscar cem dúzias de avenidas
Pra expulsar de vez as margaridas...”

E tudo acabou. Não tem bandeira, procissão, banda, foguetes, nem o Hino Eucarístico do Maestro Esaú Pinto na Elevação. Na missa de posse de D. Murilo Krieger, Arcebispo Primaz do Brasil, após a Elevação ouvimos a orquestra executar em alto e bom tom o Hino Nacional.

É chegada à hora de tomarmos decisões: em cada riocontense deve brotar um sentimento de resgate e indignação para que tudo volte ao seu lugar – não podemos deixar que uma só pessoa destrua um patrimônio que nos identifica cuturalmente, construído há séculos, por decreto.

Devemos, cordialmente, convidar o responsável por tal crime cultural a seguir o ritmo natural ou a se retirar, educadamente. Quem sabe em Roma, num conclave para a escolha de um próximo papa, já cardeal, ele queira mudar a metodologia para tal escolha, prática que data de 1274, com o Papa GregórioX, ou até mudar a cor da fumaça que anuncia, há séculos, que o mundo já tem um novo pontífice.



LOUVADO SEJA N SR JESUS CRISTO!


Cordialmente,

Mano

SUSANNA RUAS disse...

SINCERAMENTE. ACHO QUE ALGUMAS MUDANÇAS SEMPRE SÃO NECESSÁRIAS PARA MELHORIAS,PORÉM É PRECISO LEMBRAR QUE AS TRADIÇÕES NÃO DEVEM SER ESQUECIDAS POIS SÃO ELAS QUE TORNAM AS FESTAS RELIGIOSAS DESSA CIDADE TÃO BELAS...EU ADORO AS FESTAS DAÍ,SÃO TOTALMENTE DIFERENTES DAS QUE ACOMPANHO AQUI NA MINHA COMUNIDADE, ELAS ENCANTAM E FASCINAM OS VISITANTES. PENSO QUE CABE A COMUNIDADE CHAMAR O SEU PÁROCO E EXPOR A SITUAÇÃO....QUE AS MUDANÇAS NECESSÁRIAS NÃO DEIXEM A TRADIÇÃO E CULTURA DA CIDADE ACABAREM.....

Anônimo disse...

Igreja não é feita de tradições e sim de fé! em vez de ficarem ai criticando o Pe. Valderi pela internet, por que não procuram ele para uma conversa, será muito mais digno da parte de vocês. Quem convive com ele, sabe que as "mudanças" não são para ofender e nem para destruir nada de ninguém e sim para consertar o que SEMPRE esteve errado e ninguém teve CORAGEM SUFICIENTE para consertar! Deus dê muita saúde e coragem a ele para que ele jamais se abale com as línguas dessa cidade!

Anônimo disse...

Afinal, o que é igreja para vocês? pelo que eu vejo vocês não fazem a mínima idéia quando dizem que "esse padre vai acabar com a igreja". Gente, acordem! Igreja não é feita de tradições, Igreja é feita de fé!!! As "mudanças" que o Pe. Valderi está fazendo não são para ofender e nem para acabar com nada de ninguém e sim, para consertar o que SEMPRE esteve errado, mas ninguém teve coragem suficiente para consertar, e como sempre foi assim, todos nós estávamos cegos achando que estava certo. Que Deus dê muita saúde e força para que o Pe. Valderí nunca se abale com as línguas da maioria das pessoas de falsa fé dessa cidade!!! ( Não adianta fazer abaixo assinado porque só quem tem autoridade para tirar ele daqui é o Bispo, que está de acordo com tudo que ele faz ou o Pe. Francisco de Barros Barbosa- diretor da Sociedade Joseleitos de Cristo, mas tem que apresentar um motivo grave para isso, como não existe, se conformem e aceitem, ou deixem de ir à Igreja, mostrando que não são e nunca foram cristãos de verdade).