segunda-feira, 24 de maio de 2010

TAL - Tempos de Arte Literária

O TAL - Tempos de Arte Literária, é um Projeto promovido pela SEC - BA e desenvolvidos por escolas estaduais da Bahia. Pela segunda vez o Colégio Estadual Carlos Souto de Rio de Contas realiza, com sucesso, este projeto. Durante duas semana realizamos oficinas de leitura e produção de textos literários e o resultado foi mostrado no 2º Sarau Literário TAL, no Teatro São Carlos, dia 22 último.

Foi muito trabalho para coordenar este projeto, mas extremamente prazeroso ver o envolvimento dos alunos com a literatura mergulhados no mundo da poesia, da crítica e da criatividade. Maravilha também a mobilização dos alunos da comissão organizadora para fazer acontecer o evento e ...VALEU!!!
Pra contar um pouco conmo aconteceu o nosso sarau segue o texto feito por Ana Carolina Trindade, aluna do 3º ano B, que foi a mestre de cerimônia do evento:


“Poesia é... Brincar com as palavras
Como se brinca com bola,
papagaio, pião.
Só que bola, papagaio, pião
de tanto brincar se gastam.
As palavras não:
Quanto mais se brinca com elas,
mais novas ficam.
Como a água do rio
que é água sempre nova.
Como cada dia que é sempre um novo dia.
Vamos brincar de poesia?”

Boa tarde é com muito prazer que estamos realizando o 2º TAL - Tempos de Arte Literária.
E para dar inicio ao nosso sarau, veremos uma apresentação de uma poesia de um dos alunos do Colégio Estadual Carlos Souto, interpretado pelo grupo de teatro “Loucos por Arteatro’, vale ressaltar que essa poesia e os demais trechos recitados por mim não estão concorrendo! Com vocês: “O VALE DO FIM”



E agora gostaria de convidar para compor à mesa os jurados:



Marusa Lana
Jorge Sá
Vivi Trindade
Verônica Coutinho
Graça Salles
Claudete Eloy .

...

“Sonhos inacabados
Poemas sem inspiração,
É como amar sem ser amado
É musica sem inspiração”

E agora a Primeira concorrente do dia; com o poema “Contradição”, Analís Silva do 2ºano A.
--------------
Como já diria o sábio poeta Fernando pessoa

“O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sentir.”

E nossa segunda concorrente é Andressa Cristina da 8ªB com a poesia “Amar”

-------------

“Eu conto lá, eu conto cá
E você de donde está
Vai escutando o meu conto
Para espalhar o meu contar
O meu conto, conto em conto,
Vou contando o meu contar
Porque é só contando aqui
Que meu conto é contado lá”


E a nossa 3ª concorrente vem com o cordel “Sociedade Oculta” com vocês, Bruna Nunes
------------


“É espinha no rosto.
É atração pelo sexo oposto.
É a voz se alterando.
É a paixão iniciando.
É a necessidade de responsabilidade.
É a busca da felicidade.
É a ciência da consciência.
É efervescência, é adolescência.” Josete Fereira


E “Adolescência” é o titulo do conto da nossa próxima concorrente, com vocês Damiana Brito


“De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.”

Com o poema “Chuva no Meu Coração”, ele, Douglas Silva




“E que eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.”
Agora outra poesia de amor, escrita por Everaldo Junior e interpretada por Mariana Brandão: “Louca Paixão”


“... O tempo é algo que não volta atrás.
Por isso plante seu jardim e decore sua alma,
Ao invés de esperar que alguém lhe traga flores ...”
E com o poema “Últimos Minutos”, com vocês Isabelle Cristina



“Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.”
E agora mais uma concorrente, Maíria Cruz com a poesia “Amor é”


“Quando eu me pergunto quem sou eu, sou o que pergunta ou o que não sabe a resposta?”
Com a poesia “Meu eu Tem Um Livro”, com vocês Marília Cardoso
“Eu aqui, você daí
Eu de cá, você de lá
Conto aqui, eu conto ali
conto aqui e acolá
E a gente só querendo
Esse conto começar...”
Nossa próxima concorrente “Marinez Rocha” escreveu mais um cordel, com vocês “Vida Roubada”
“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.”
Com a poesia “O Caminho da Vida”, Mateus Luan
“Ser mãe é uma emoção
Fácil de expressar
É transpirar emoção no andar, no falar...
É sorrir sem ter motivos
É chorar sem sentir dor
É viver por um motivo
A grande força do amor”
“Nascimento de Cecília” é o nome do nosso próximo poema, com vocês Micaele Alves

“Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele”
Agora ela, a penúltima concorrente do dia, Raquel Amorim com o poema “Pensador”
E agora estamos chegando ao fim, mas ano que vem tem mais, porque “depois de todo fim há um novo começo”, e para fechar nossas apresentações, Hortência Britto interpretará o poema do nosso ultimo concorrente, Hugo Trindade com vocês, “A Marionete”

E o vencedor foi...
HUGO TRINDADE "A MARIONETE"

Um comentário:

Sasuke disse...

Bom realmente Nostálgico ver a poesia que criei ... a reler ..é totalmente diferente ..quando você percebe que ganhou você ver de maneira totalmente de antes sua poesia ....

mais dizer o que ?

A ARTE É Um ESTOURO