terça-feira, 9 de junho de 2009

Esgoto da Embasa ameaça Livramento e Dom Basílio

Da Tribuna da Bahia
__________________________________________________

A Embasa confirmou, no Diário Oficial e em audiência pública, que vai mesmo despejar no Rio Brumado os dejetos sanitários da histórica cidade de Rio de Contas, onde está sendo implantado novo sistema de tratamento de esgoto, o que colocará em grave risco a saúde das populações dos municípios de Livramento de Nossa Senhora e Dom Basílio, que fica à vazante do rio.
Segundo o jornalista Raimundo Marinho, de Livramento, que denunciou o fato à chefia do Ministério Público da Bahia, em representação protocolada sob nº 003.0.33836/2009 (17.03.2009), além do risco para a saúde da população, os dejetos vão destruir um dos mais belos monumentos ecológicos da região, que é a Cachoeira de Livramento, de 300 metros, na Serra das Almas (final da Chapada Diamantina).
Disse que o Ministério Público ainda não se manifestou e as obras estão em andamento, envolvendo rede coletora, estação de filtragem de resíduos sólidos, lagoas de decantação e uma adutora de 2.500 metros, para afastar os detritos do trecho do Rio Brumado que margeia a cidade de Rio de Contas.

TRATAMENTO

Não haverá tratamento químico para os dejetos, lembra o jornalista, e os próprios técnicos da Embasa admitiram, na audiência pública em Livramento, que remanescerá uma contaminação de pelo menos 1.000 coliformes fecais por 100 ml dos dejetos lançados no rio e, conseqüentemente, na cachoeira.
Salienta que menos de 9 km separam as duas cidades, não havendo o distanciamento mínimo necessário, que seria de 25 km, para a depuração natural. Assim, destaca o jornalista Marinho, a população estará permanentemente exposta à contaminação, principalmente na zona rural, onde a água costuma ser consumida sem qualquer tipo de tratamento.
Ao chamar a atenção para a gravidade do problema, Raimundo Marinho, lembra que, entre as bactérias comumente presentes em dejetos sanitários, que o tratamento não elimina, estão as causadoras de verminoses, tuberculose, salmonelose, leptospirose, cólera, hepatite, infecção intestinal, úlcera gástrica (H. Pilori) e febre tifóide.
Segundo o jornalista, o risco foi admitido pela própria Embasa, que atendeu pressões das autoridades e população de Rio de Contas, exigindo que os dejetos fossem lançados distante daquela cidade, através de uma adutora de 2.500 m.
A água do Rio Brumado, que desce pela cachoeira de Livramento, é também utilizada na irrigação de mais de 8.000 ha de terra, onde são cultivados fruticultura para exportação (manga e maracujá) e hortigranjeiros, também sob o risco da contaminação permanente, afetando a base econômica dos municípios de Livramento de Nossa Senhora e Dom Basílio, além de matar o rio, a cachoeira e o potencial turístico da região.
Somente o prefeito de Livramento falou até agora, o médico Carlos Roberto Souto Batista, mas ficou a favor da Embasa, onde consta que tem amigo diretor, dizendo que não vê mal algum para o município. Essa sua posição causou repulsa e indignação entre moradores do município, testemunha o jornalista Marinho.
Atualmente, destaca, a maioria dos dejetos de Rio de Contas é retida em fossas e com o novo sistema todo o esgoto sanitário será despejado no Rio Brumado, levando a contaminação direto para Livramento e Dom Basílio. Para o jornalista, que pretende entrar com ação judicial contra os responsáveis, a esperança, agora, é a atuação do Ministério Público e da Justiça.

Fonte: Tribuna da Bahia

2 comentários:

Ricardo disse...

O resultado da audiência pública da Embasa, ao contrário, garantiu que o esgoto que atualmente está sendo jogado no Rio Brumado "in natura", passará por tratamento na estação de tratamento de esgotos, mantendo o rio livre de poluição.
Essa questão já foi completamente esclarecida e a insistência no asssunto me parece mero sensacionalismo jornalístico.
Minhas declarações ao jornal Folha Regional foram, inclusive, distorcidas, sendo atribuídas a mim declarações contra a empresa Franco Araújo que eu absolutamente não dei (de que a ação da empresa seria "criminosa")além de outros absurdos, como dizer que Rio de Contas é protegida pela Unesco, o que não é verdade.
Parece que existe interesse em manter uma indignação forçada das cidades que se situam a jusante do Rio Brumado. O motivo eu não sei.


Ricardo Stumpf

Chefe do Escritório Técnico do IPHAN em Rio de Contas

Altemar disse...

Caro Ricardo,

Também tenho a mesma impressão sua. Tal projeto para se enquadrar dentro da lei passou por diversos orgãos. Me parece inconcebivel que nenhuma autoridade tenha o considerado inadequado. Talvez eles prefiram rece o esgoto "in natura"