terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Pré Carnaval Mandú

O PROJETO MANDÚ CARNAVAL TRADICIONAL – aprovado no edital de Culturas Populares do Fundo de Cultura do estado da Bahia, tem por objetivo a revitalização do carnaval tradicional ,estimular a diversidade cultural da mais expressiva festa cultural de Rio de Contas.
Proposto pela Ong OASIS,Ponto de Cultura Ciranda de Bonecos , o projeto visa realizar oficinas de máscaras, bonecos , bonecões , fazer 5 pre- carnavais aos domingos até o carnaval ,o Pequi Elétrico a Lavagem do Coreto,e um bloco de bonecões, caretas e máscaras com todo material confeccionado nas oficinas.
A iniciativa vem realizando parcerias com os artistas locais , Pedro Souza e Seu Humberto. Com o intuito de fortalecer as ações culturais do município.

Confiram algumas fotos das oficinas e dos Pré – Carnavais aos domingos do mês de janeiro de 2013. Demais fotos podem ser conferidas na página do projeto.




Mandu - Carnaval Tradicional 2013


Som automotivo fora dos padrões serão coibidos no carnaval de Rio de Contas


Nesse carnaval em Rio de Contas as autoridades competentes alertam:


Não será permitida a execução de som em via pública ou em espaços privados acima dos níveis permitidos por lei. A Polícia Militar terá seu efetivo ampliado e irá coibir ostensivamente a utilização de equipamentos de som, veículos, reboques e similares. A PM atuará em conjunto com a Prefeitura Municipal de Rio de Contas que já disponibilizou um estacionamento para os veículos apreendidos. Participam da operação ainda a Polícia Civil e a Polícia Rodoviária.

Execução de som alto acima de 60 decibéis durante o dia e acima de 55 decibéis durante a noite é crime ambiental previsto na Resolução número 01/90 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). A Constituição Federal de 1988 garante ainda como direito fundamental do cidadão um meio ambiente sadio e equilibrado.

Rio de Contas completa em 2013, 100 anos de carnaval e já teve um dos carnavais mais tradicionais do interior da Bahia. Nos últimos anos os carros de som invadiram a cidade impondo um único estilo musical a todos em altos níveis de volume o que vem desagradando em muito a população da cidade. Sabe-se que som alto causa surdez temporária ou permanente, aumento da pressão arterial, insônia e irritabilidade. Alguns estudos sugerem que a exposição ao som alto pode ainda causar ainda impotência sexual.

Com a atuação ostensiva do Ministério Público, das Policias Militar, Civil e Rodoviária e da Prefeitura Municipal de Rio de Contas espera-se que esse quadro se transforme trazendo um alívio para os moradores da cidade e abrindo espaço para que todos possam se expressar sem infringir o direito do outro.

Em contraponto a essa situação a ONG Oásis através do Ponto de Cultura Ciranda de Bonecos está promovendo o projeto Mandu Carnaval Tradicional com oficinas de mascaras,caretas e bonecões, Pré carnavais pequi elétrico e a lavagem do coreto com o objetivo de fortalecer a identidade cultural do carnaval de Rio de Contas que vem se descaracterizando a cada ano. 

Mais informações do projeto Mandu:
www.manduriodecontas.wordpress.com

Lembrando que além de infringir a Constituição Federal, a legislação ambiental e o decreto municipal a poluição sonora é caracterizada como ilícito criminal sendo passível de prisão em flagrante.

Segundo a recomendação do Ministério Público da comarca de Rio de Contas:
1) A Prefeitura municipal deverá implantar um sistema de fiscalização 24 horas trabalhando em conjunto com as Polícia Militar e Civil.
2) A Polícia Militar, ao constatar através de medição com decibelímetro ou de testemunha presencial, deve encaminhar imediatamente o infrator para a o posto policial ou delegacia mais próxima para registro da ocorrência efetuando ainda a apreensão do aparelho de som e / ou do automóvel (em caso de som automotivo).
3) A Polícia Civil deve além de registrar a ocorrência apreender o veículo e / ou aparelhagem de som lavrando o auto de apreensão e somente liberando o mesmo através de autorização judicial.

Legislação pertinente:
* Constituição Federal de 1988: arts. 127 caput, 129 II c/ e art. 225, caput
* CONAMA: Resolução numero 01/90 (NBR 10-.151)
* Lei de Contravenção penal arts. 42 III, Lei 9.605/98 – art. 54
* Decreto municipal Rio de Contas: 096/2011

Arte Rupestre em Rio de Contas


A notícia abaixo está no Blog "O Paiz" que é um Blog de opiniões e notícias, sobre arte, cultura, política e esportes. Representa a opinião dos seus autores e está aberto à participação dos leitores. O título O PAIZ é uma homenagem ao antigo jornal carioca, cujo último editor, Antônio Alves de Souza, é tio-avô de um dos autores, Ricardo Stumpf Alves de Souza. O PAIZ é a fusão dos blogs Segunda-feira e do Dico editados até o final de 2012. Adriano Araújo e Ricardo Stumpf são os autores do Blog. O endereço do blog é: blogopaiz.blogspot.com.br


Figura zoomorfa pré-histórica, aparentemente representando uma ema.
          A apenas poucos quilômetros da sede do município, no Distrito do Brumadinho, está uma amostra da arte dos nossos antepassados, sobre a chamada Pedra do Cauã, um grande maciço rochoso cuja parte frontal desabou, levando consigo parte das pinturas e das gravuras representadas sobre ele.
          Este painel artístico corre perigo, por não ter ainda sido reconhecido pelo IPHAN, Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional, responsável legal pela guarda dos tesouros arqueológicos brasileiros.
Pedra do Cauã

        Apenas os moradores do local tem se esforçado para preservar este monumento, um verdadeiro recado deixado sobre a pedra por nossos ancestrais de milhares de anos atrás. Até agora, nenhum arqueólogo veio visitar o local, cuja visitação está restrita apenas para pessoas conhecidas.

       Com o desbamento da parte frontal, muitas figuras ficaram divididas, em blocos separados. 
     As pinturas predominantes são em ocre, mas também existem algumas na cor vermelho escuro e também gravuras de baixos relevos, semelhantes às encontradas nas itaquatiaras mostradas na edição passada deste blog.
Baixos relevo escavados sobre parte do bloco desabado
     Uma escavação arqueológica, que removesse o entulho do desabamento poderia estabelecer datações e encontrar mais figuras, ocultas pelas camadas de soterramento.
 Pintura deteriorada

     E recuperar partes de desenhos que se desprenderam, recompondo-os e procurando entender a quetradição pertencem, ajudando a reconstruir a pré-história do nordeste brasileiro...

 Desenhos de curvas de rios ou raios solares?
     E procurando desvendar o imaginário destes nossos ancestrais tão remotos, que habitavam esta região há milhares de anos atrás.
    Água corrente?
     E nos deixaram estes recados enigmáticos.
     Atenção visitante, se você conhece este local, por favor não divulgue sua localização. A melhor maneira de protegê-lo é mantendo-o longe da visitação. Se for visitá-lo, por favor não acrescente nada às pinturas, preserve-as.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Memórias de um carnaval que se perde em lembranças


Com idade de 15 anos subi pela primeira vez as ladeiras de Rio de Contas, toda de pedregulho e cascalho, fui em busca de um carnaval que diziam ser de machinhas, máscaras e o povo na rua se divertindo. Ao chegar ao topo da serra me assustei com o que vi, pois o carnaval de machinhas e máscaras não existia mais, tinha lá um palco enorme com bandas de axé, muita gente em blocos concentravam-se de acordo com as classes sociais a que pertenciam. Ao lado do antigo presídio diversos blocos disputavam seu espaço. Na “muvuca”, no “gargarejo”,  a grande plebe, tive a clara experiência da divisão de classes numa festa que era para ser popular. Fiquei um tempo observando aquilo e pensei que os carnavais de machinhas tivesse acabado. Sai meio sem rumo e de repente escutei longe uma letra distante: “tá pensando que cachaça é água? Cachaça não é água não...” fui subindo em direção à igreja matriz e encontrei um caminhão ou somente sua carroceria, não me lembro bem, servindo de palco e um grupo de animados foliões se divertindo ao som dos antigos carnavais. Ganhei minha noite misturado àqueles foliões. A partir de então sempre que estivesse pela Bahia nos períodos de carnaval passei a frequentar Rio de Contas.  O carnaval de Rio de Contas não era mais o mesmo, era um carnaval que mudava e assumia o mundo das massas e as necessidades do capital como todas as festas do gênero país a fora.

Este ano completa 100 anos de história e parece que a descaracterização e a perda da memória vêm sendo ameaçada a cada ano. O barulho na cidade tornou-se infernal no período dessa festa, carros possantes com seus paredões de som fazem disputa pelas ruas da cidade estourando nossos tímpanos e nos obrigando ouvir “toscas letras”, coreografias que simulam atos sexuais a deixar qualquer atriz e ator pornô no chinelo, a tudo isso chamam de carnaval. Tudo bem que seja essa a festa da carne, essa é sua origem, mas não significa que necessariamente tenhamos de levar isso ao pé da letra. O que marca o homem como civilizado é o aprimoramento e a melhora daquilo que o afirma como humano, não o inverso e a reafirmação daquilo que o nega. Nesses anos todos sempre temos ouvido reclamações daqueles que habitam e cuidam da cidade, vivem nessa época uma grande invasão de turistas em busca desse carnaval que tornou-se um dos melhores do estado. Muitos moradores saem de suas casas e aproveitam o “boom” imobiliário para ganhar algum; o meio ambiente sofre com a grande quantidade de lixo, merda e xixi deixada pelas ruas e mananciais da cidade, etc. teríamos uma infinidade de aspectos negativos a elencar aqui, mas não é o caso, quero tratar especificamente da “festa” e da continuidade de sua descaracterização.

A festa é bonita e tem alguns caminhos a buscar, mas pessoalmente creio que o caminho traçado pelos administradores locais não esteja no rumo certo, privatizar a praça e transformar o espaço público como o de Rio de Contas em mais uma festa de camisas no período de carnaval é um grande equívoco administrativo e grande prejuízo para a cidade e o engrandecimento cultural da mesma, muitos poderão dizer que é somente um dia, mas é exatamente assim que começa, esse ano é um dia, no próximo dois e daqui a pouco acaba o carnaval de rua e vira somente a festa fechada como ocorreu em Salvador, como vem acontecendo com as cidades históricas mineiras, como aconteceu com a micareta de Vitória da Conquista e tantos outros exemplos dos quais muitos já falidos e talvez por isso buscam agora em Rio de Contas ganhar aquilo que já não se ganha em outros lugares porque lá terá garantia de público, coisa que não vem ocorrendo em outros eventos do mesmo gênero.

Seria maior benefício para a cidade que o poder legislativo aprovasse uma lei que regulamentasse a utilização de som na cidade e o poder administrativo o executasse, que controlassem a emissão de ruídos que deterioram os prédios históricos e o ouvido de seus visitantes; que ao invés do fechamento da praça para a exploração privada com velhas atrações e sertanejo universitário oferecesse uma agenda alternativa com a velha guarda e até mesmo os nascentes artistas do estado e da região. Que se pensassem um carnaval, não para se consumir e atender a indústria cultural de massas, mas para aprimorar e melhorar o gosto musical das novas gerações. Que incentivassem as crianças a se fantasiarem e saírem pela rua como espaço público e seguro sem divisões de tapumes que separa o que pode daquele que não pode pagar; que os velhos tivessem alegria ao saírem no parta de suas casas e em suas espreguiçadeiras aliviasse a saudade do passado das velhas marchinhas e das suas fantasias tão características e não a terem de sair da cidade por não suportarem o barulho em que ela se transforma.

Euvaldo Cotinguiba Gomes

Redução nas contas de energia?

Os humoristas acham que não! será que eles podem ter razão?


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Carnaval 2013: Baile a fantasia


Vereadores reduzem o próprio salário

"A notícia abaixo ainda não é em Rio de Contas. O fato aconteceu na cidade de Ibotirama que fica a 300 km. O objetivo também não é tão nobre como o título pode parecer. Por conta do aumento do número de vereadores. Mais gente para dividir o mesmo bolo. Fica portanto a esperança que um dia alguém sensato resolva tomar tal atitude. No Congresso, a proposta de lei que proíbe pagamento de salário a vereadores em cidade pequena parece que vai ficar no papel. Recebeu apenas repúdio por parte de Câmaras municipais e nenhuma de apoio. Esse é o nosso Brasil. Ser vereador parece mais uma forma de ganhar um extra com pouco trabalho."

Um acordo firmado entre os vereadores eleitos do município baiano de Ibotirama, cidade localizada na região do Médio São Francisco, vai reduzir em aproximadamente 20% o salários dos novos edis.

Um dos objetivos é não ultrapassar os limites de gastos da Câmara de Vereadores, uma vez que houve o aumento no número de vereadores na cidade de nove para 11.

“Chegamos a este percentual com o propósito de que as duas cadeiras a mais não onerem os cofres públicos, uma vez que que a decisão de manter 11 vereadores, tem por objetivo aumentar a representatividade política e não elevar as despesas”, explica Esmeraldo Araújo - Mera, presidente da Câmara de Vereadores.

Tal medida reforça o clima de contenção de despesas que vivem os municípios brasileiros. Os cortes nas verbas foram drásticos e os municípios agora precisam se reestruturar para garantir o bom andamento dos serviços públicos, manter a qualidade e otimizar recursos.

Além dos vereadores eleitos estiveram presentes na reunião técnicos do departamento de controladoria interna do município, no intuito de esclarecer eventuais dúvidas à respeito dos repasses e limitações para as devidas aplicação.

domingo, 20 de janeiro de 2013

Estádio Pequizão?

Indagação mais do que pertinente de um usuário do facebook no grupo Rio de Contas:

"Pode um estádio chamar Pequizão, não ter uma árvore simbolo, o PEQUIZEIRO? Não me diga que é preconceito."

O assunto é para ser tratado pelas áreas de turismo, esporte, cultura, meio ambiente e também educação. Afinal o pequi é um importante fruto na vida do riocontense.

Vamos dar a ele  a importância que ele merece, e não apenas um "nome" ao estádio.


Carnaval no Brasil


quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Preços dos aluguéis de Rio de Contas disparam no Carnaval



Caracterizado como um dos Carnavais mais antigos da Bahia, o Carnaval de Rio de Contas de 2013, se destaca pela manutenção das tradições das marchinhas, do desfile de fantasias, bonecos gigantes, concursos de máscaras, lavagem da Escadaria de Santana e festa na Praça da Matriz. O carnaval movimenta a economia riocontense, gera empregos temporários na hotelaria e no comércio da cidade. Contudo, ainda é o campo imobiliário que apresenta os maiores ganhos financeiros, sobretudo através do aluguel de residências no período carnavalesco.

Famílias de todas as classes sociais esperam o ano todo para alugar suas casas e com isso aumentarem sua renda.Embora visivelmente o município tenha um potencial de investimento no turismo ecológico, rural e de base étnica a realidade da população é bem delicada. Sem atividades econômicas de destaque as famílias riocontenses vivem quase que exclusivamente dos recursos advindos da previdência social da prefeitura e da agricultura de subsistência. Os recursos do PAC das cidades históricas ainda não se tornou realidade no município, que aguarda entre outros investimentos a implantação da "fiação subterrânea", uma intervenção urbana nos mesmos moldes da cidade de Ouro Preto e que reduz a poluição visual na paisagem arquitetônica do município.

Aluguéis - Os visitantes que todos anos vão ao município pra prestigiar o carnaval tem reclamado constantemente dos preços dos alugueis.

A estudante Layse Luane, disse que em 2011 seu grupo de amigos pagou R$1.700,00 por uma casa localizada na Rua Barão do Rio Branco, em 2012 o valor foi de R$2.000,00 e agora em 2013 o grupo ficou surpreso com o valor cobrado de R$ R$3.000,00. Para o estudante Lucas Oliveira, que faz parte do mesmo grupo de amigos considera os valores cobrados "um verdadeiro absurdo" e avalia que este ano houve um "aumento muito acima da inflação além de combinação de preços", comenta.

Já o riocontese Altemar Cardoso discorda que haja abuso e considera o preço dos imóveis justo.

" A cidade ainda é muito carente, e esse período é muito esperado. Há um certo transtorno é deixar suas casas, mudar-se temporariamente para outra residência e deixar a sua casa arrumada para um morador temporário", comenta. Ainda segundo ele o aluguel de temporada de Rio de Contas é muito mais barato comparado com o mesmo período em cidades como Salvador e Porto Seguro.

No último dia 15, o Ministério Público a Prefeitura Municipal, Policia Civil , Policia Militar , Conselho Tutelar se reuniram para tratar de assuntos pertinentes ao carnaval principalmente a questão do som automotivo. Segundo informações, haverá uma maior fiscalização, apreensão de veículos e a Policia Rodoviária Estadual também agirá ostensivamente para coibir o excesso de som automotivo.

O carnaval de Rio de Contas chega ao seu centenário este ano e será realizado nos dias 06 a 13 de fevereiro de 2013.

Do L12 Notícias
Jornalista Renato Luz - DRT-BA 4201

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Massicas no Carnaval de Rio de Contas


Uma das novidades do Carnaval do Sudoeste Baiano neste ano fica por conta da estreia do Massicas em Rio de Contas. No domingo (10 de Fevereiro), o empresário Pedro Alexandre Massinha vai colocar o seu bloco na Chapada Diamantina com o Massicas Indoor. De acordo com Massinha,“a animação ficará por conta do sertanejo elétrico Seu Maxixe, a contagiante Banda Lordão e a pressão baiana de Rena Moreira, na Praça do Landim”. Maiores informações: (77) 8110-1616 / 8155-7329

Foto e texto: Blog do Anderson

Cidades baianas cancelam o carnaval de 2013

Diversas cidades baianas optaram por cancelar os festejos de carnaval. Os motivos mais comuns são a falta de dinheiro em caixa (em sua maioria ocasionada pela troca na gestão dos municípios) e a seca que vem castigando o país.

Na Bahia diversas cidades já decidiram cancelar a festa. Jussiape, Brumado, Barreiras e Ilhéus estão entre elas. Informações ainda não oficiais também noticiam que a cidade de Paramirim também não deverá realizar a festa.

Ao que tudo indica, Rio de Contas deverá ser o destino de muitos moradores e turistas da região. Situação que deverá deixar a cidade superlotada.

Nepotismo: Prática é comum em prefeituras baianas

O caso de nepotismo veiculado pelo Bahia Notícias sobre a cidade de Macaúbas, no sudoeste baiano, onde o prefeito nomeou o filho para o cargo de secretário de Administração levou leitores do BN a relatarem casos idênticos em suas cidades. 

No município de Barrocas, no nordeste da Bahia, o prefeito José Almir Araújo Queiroz nomeou sua esposa, Patrícia Carneiro de Souza, para o cargo de secretária de Administração e Finanças. Outra denúncia feita por um internauta dá conta de que a situação em Teolândia, no sul baiano, é mais grave. Lá, o gestor Lázaro Andrade de Oliveira colocou também a sua mulher, Renata Lívia Sampaio França, no comando da Secretaria de Educação e Cultura; a sua irmã Zaira Andrade de Oliveira foi nomeada secretária de Saúde do município e o primo Antônio Moacir de Almeida Souza para a Secretaria de Assistência Social. 

Situações semelhantes são identificadas na prefeitura de Madre de Deus, na Região Metropolitana de Salvador, em Formosa do Rio Preto, no oeste, e em Santaluz, no nordeste baiano. 

De acordo com a 13ª súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal (STF), de agosto de 2008, e ainda não revisada pela Corte, proíbe a contratação de parentes de autoridades e de funcionários para cargos de confiança (cargo político), de comissão e de função gratificada no serviço público. Segundo o advogado eleitoralista, Jarbas Magalhães, a súmula não tem sido aplicada ao extremo. “Se o Ministério Público ou alguém movesse uma ação popular, ia dar trabalho. Mas acontece que ninguém tem contestado", afirmou o jurista ao falar do caso de nepotismo em Macaúbas.

Por Aparecido Silva
Bahia Notícias

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Por falta de recursos, Prefeitura de Jussiape, cancela Carnaval


Gilberto Freitas, prefeito de Jussiape (Foto: Will Assunção/Jussi Up Press)


O prefeito de Jussiape, Gilberto Freitas (PSC) anunciou na terça-feira (8) que não haverá verba para a realização do Carnaval deste ano em Jussiape, e no distrito de Caraguataí. A decisão foi tomada pelo Prefeito devido à dificuldade financeira neste início de mandato.

A Seca como ela é


Nossa água usurpada pela elite agrária

A barragem Luiz Vieira, responsável por abastecer principalmente a cidade de Livramento de Nossa Senhora, está abaixo dos níveis de segurança, restando menos de 20 milhões de metros cúbicos de água, dos 105 milhões da capacidade. Mas mesmo assim há relatos de que as comportas estão sendo abertas para os grandes proprietários de terra, podendo a qualquer momento ocorrer racionamento de água em toda a cidade para o consumo humano.

Quando a barragem foi construída, o projeto do DNOCS previa cultivo de apenas 5 mil hectares dentro do perímetro irrigado, mas os grandes produtores de manga e maracujá da região, gananciosos e irresponsáveis, em busca de lucro fácil a todo custo, expandiram a área plantada, que já chega a mais de 12 mil hectares, para fora do perímetro. Sem se preocupar com a população, a elite agrária, principalmente local, usurpou, durante anos, quase toda a água do açude Luiz Vieira com a omissão ou complacência do poder público. Chegaram a construir barragens, com a água do povo, dentro de suas próprias propriedades.

Apesar de utilizarem equipamentos públicos, como estradas, sistemas de água, canais de irrigação, explorar o trabalhador, lucrar cerca de R$1 bilhão por ano, além de degradar e poluir o meio ambiente, os grandes proprietários de manga e maracujá de Livramento nada pagam à Prefeitura. Os tais empresários que se dizem ser responsáveis pela geração de emprego e renda de grande parte da população de Livramento são os mesmos que estão provocando, por conta de sua sanha de ganhar lucros exorbitantes à custa da depredação ambiental, o sofrimento dos moradores do município há meses.

O problema se agravou a tal ponto que nem mesmo os mais de 15 carros-pipa que transitam o dia todo pelas avenidas de Livramento conseguem suprir a demanda das comunidades rurais. O resultado são os conflitos entre os próprios moradores que já começam a surgir. Mas até agora nenhuma medida radical foi tomada pelos mais atingidos pela seca, como a ocupação das grandes propriedades de terra, onde há água em abundância. Talvez, não tenham nem mesmo forças para tal envergadura.

De modo que a zona rural que já vive na pobreza devido ao descaso e abandono dos sucessivos prefeitos agora tem de conviver com um longo período de falta de água. Não só a zona rural, contudo, tem sofrido com a ausência de abastecimento. Os bairros mais pobres da zona urbana que sofrem com o racionamento praticamente o ano todo, como o Benito Gama, já estão sem água há 6 dias. Mesmo com a gravidade da situação, nenhum político, nenhum carro-pipa foi até o local para tentar amenizar o sofrimento dos moradores.

Como acontece em todo o Brasil, a população pobre é quem paga a conta pela ganância e irresponsabilidade da elite agrária usurpadora do nosso bem precioso, a água, como também é a população pobre quem paga pela omissão e descaso dos prefeitos, vereadores, empresas estatais e o poder público, de um modo em geral.

Não devemos cair no discurso alienante de que o problema do esvaziamento da barragem Luiz Vieira se deu devido à ausência de chuva. Sabemos que antes de ter sua água usurpada pela elite agrária local, o açude era capaz de abastecer toda a população com tranquilidade nos períodos de grande estiagem. Nossa região, apesar de se situar no semiárido, sempre foi rica de água, livre de contaminação por sinal. Só depois da depredação ambiental provocada pelos grandes proprietários de terra é que começamos a passar, com frequência, pelo problema de falta de água.

Nesse sentido, devemos, sim, clamar por chuvas, como vejo as pessoas dizerem, mas isso é o mínimo que podemos fazer. Apenas orar por um milagre divino enquanto uma minoria de ricos usurpa e se “diverte” com nossa água é girar em falso. Devemos, antes de mais nada, reunir os mais afetados pela seca, como os pequenos agricultores, camponeses, movimentos sem-terra e a população dos bairros pobres, para cobrarem da prefeitura e dos órgãos competentes, a exemplo da Embasa, ações como a distribuição igualitária da água, obras que solucionem, e não só amenizem os problemas, contenção do desmatamento e da contaminação da água, cobrança de impostos aos empresários agrários e o combate à privatização da água, que é cada vez mais recorrente no município pela suburguesia local. Caso contrário, o sofrimento do povo que se prolonga há décadas no município tenderá a continuar.

Com informações do Livramento Diário

domingo, 13 de janeiro de 2013

Centenário do Carnaval mais tradicional do estado está mantido, diz Prefeito de Rio de Contas


Em conversa com nossa equipe, o prefeito reeleito de Rio de Contas Márcio Farias (PSD), desmentiu os boatos sobre o cancelamento do carnaval de Rio de Contas e confirmou que apesar das dificuldades a prefeitura “vai realizar uma bela festa no ano do centenário do carnaval mais tradicional da Bahia”.

O prefeito encontra-se em Salvador buscando recursos com instituições do governo do estado e do governo federal para realizar o evento. Entre elas, destaque para a empresa de fomento ao turismo do estado (BahiaTursa), Petrobrás, Banco do Nordeste, entre outros.

Ainda segundo Márcio, a edição desse ano deve da uma atenção especial às manifestações culturais do município. O prefeito trabalha com uma hipótese de angariar investimentos de R$ 400 mil reais para a festa, mas segundo ele a prefeitura vai realizar o centenário do carnaval mesmo se não conseguir metade desses recursos.

Caracterizado como um dos Carnavais mais antigos da Bahia, o carnaval de rio de contas de 2013, será realizado nos dias 06 a 13 de fevereiro de 2013 e terá como circuito oficial as Praças da Matriz e Landim, Ruas Álvaro Dantas, Barão de Macaúbas, Coronel Rodolfo Abreu, Nova de Santana, Dr. Basílio Rocha e Largo do Rosário .

A folia é marcada tradicionalmente pelo belo desfile de fantasias, bonecos gigantes, concursos de máscaras, lavagem da Escadaria de Santana e festa na Praça da Matriz. Nessa edição, paralelamente a programação do Carnaval, “Seu Maxixe” se apresentará no domingo a tarde no bloco Mássicas Indoor.

Segundo decreto publicado ontem no Diário Oficial do município, para exploração do comércio temporário no período carnavalesco os interessados deverão apresentar-se, junto à Comissão Organizadora do Carnaval, que funcionará provisoriamente na Secretaria Municipal de Turismo e Desporto no prédio da Prefeitura Municipal, no período das 08:00 hs às 13:00 hs, onde serão apresentados documentos requisitados.

Do L12 Notícias
Jornalista Renato Luz (DRT-BA 4201)

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Educação: copiem sem moderação


Rio de Contas: também pode copiar sem moderação!

Morro do Chapéu é uma cidade da Bahia, da região da Chapada Diamantina, conhecida pela delícia de sua temperatura média, pela beleza da "Ferro Doido" e pelo Centro de Pesquisas Ufológicas de "seu" Alonso.

Recentemente, outra façanha de "Morro" me encantou mais ainda: há cinco anos, um empresário da cidade, Luciano da Casa do Pão, resolveu dar uma pequena mostra de solidariedade para ajudar estudantes da rede pública no seu desempenho escolar. Começou doando um computador para o aluno que tivesse o melhor aproveitamento ao longo do ano. Isso já deixou a comunidade estudantil atenta e empenhada em ganhar o cobiçado prêmio.

No ano seguinte, outros empresários e profissionais liberais juntaram-se a Luciano e ampliaram o leque das premiações: notebooks, motos, uma agência bancária local ofereceu uma poupança de R$ 2.000,00 (dois mil reais), a dentista do lugar entrou com tratamento ortodentário por um ano. Além disso, aos melhores das séries finais do fundamental e médio, garantiram cestas básicas por um ano,

O movimento foi crescendo com a participação entusiasmada de mais pessoas da cidade. Hoje, premiam, principalmente, o desempenho escolar (notas boas) e a assiduidade.

Primeiro resultado: existem alunos, há dois anos, sem uma falta sequer e as "supermédias" chegam a atingir a nota 9,75, levando em conta todas as matérias.

Segundo resultado: a elevação da média do IDEB dos alunos do município.

A entrega dos prêmios é feita em noite de gala, com a comunidade presente, em clima de verdadeiro "Oscar da Educação Morrense".

Não à toa, num distrito de Morro do Chapéu chamado Fedegosos, conheci a escola pública Edigar Dourado Lima, que me fez parecer estar entrando em algum colégio suíço, dada a organização, limpeza e alto padrão de civilidade entre professores, servidores e alunos. O diretor, Professor Edinho, tem tratamento de pop-star pela sua comunidade.

Pergunto à Bahia e ao Brasil: será que só Morro do Chapéu consegue fazer isso? Que tal pegarmos esse extraordinário exemplo e espalharmos pelo restante do país?


Jorge Portugal - Educador e Poeta
http://www.jorgeportugal.com.br/blog/

Postado no site ZDA.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Acidente em Brumado com ônibus da linha Rio de Contas X Vitória da Conquista

O motociclista só saiu ileso porque conseguiu saltar do veículo. (Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias).

Na manhã desta quarta-feira (02), após invadir duas contramãos na Praça Capitão Francisco de Souza Meira, em Brumado, um ônibus da empresa Novo Horizonte, que fazia linha Vitória da Conquista a Rio de Contas, colidiu com uma motocicleta. O motociclista só saiu ileso porque conseguiu saltar do veículo. O coletivo passou por cima da moto arrastando a mesma por cerca de 5 metros na via. Havia vários passageiros no ônibus no momento do acidente, mas ninguém se feriu gravemente. O motorista, embora já experiente, disse que se confundiu com a sinalização e acabou invadindo a contramão. A moto ficou debaixo do veículo e os agentes de trânsito do município foram chamados para controlar o trânsito no local.